Quadrilha de roubo de veículos é presa após fuga, perseguição e confronto pelas ruas de Canoas

Quadrilha de roubo de veículos é presa após fuga, perseguição e confronto pelas ruas de Canoas

Ação da Polícia Civil teve apoio da Brigada Militar na abordagem de quatro criminosos no bairro Mathias Velho

Correio do Povo

Carregador e munição foram apreendidas, mas duas pistolas calibres 9 milímetros não foram localizadas

publicidade

A Polícia Civil concluiu na madrugada desta sexta-feira uma operação em Canoas que resultou na captura de uma quadrilha especializada em roubos de veículos na Região Metropolitana de Porto Alegre. A ação começou ainda no final da tarde de quinta-feira. Após investigações, os agentes da Delegacia de Repressão ao Crime Organizado (Draco) de Canoas, sob comando do delegado Thiago Lacerda, identificaram quatro integrantes de um grupo criminoso que roubava carros.

Os policiais civis realizaram então diligências nos arredores das casas dos suspeitos para levantamento de local visando o cumprimento de medida cautelar. Na área, eles tentaram abordaram um Chevrolet Onix com os quatro bandidos que fugiram em alta velocidade. Houve perseguição do carro, inclusive com apoio dos policiais militares do 15º BPM e de um helicóptero do Batalhão de Aviação da Brigada Militar, por diversas ruas dentro do bairro Mathias Velho. 

Os criminosos confrontaram-se com os policiais. Em um determinado momento, os bandidos jogara fora duas pistolas calibres 9 milímetros. A quadrilha foi encurralada em uma rua sem saída depois de terem os pneus do carro alvejados por tiros. Os quatro indivíduos foram presos. Houve a apreensão de radiocomunicadores sintonizados na frequência da BM, além de um carregador de pistola com munição dela e ainda de calibre 40, bem como quatro celulares e documentos. No entanto, as armas não foram localizadas.
 
O delegado Thiago Lacerda assegurou “que as investigações continuam” e que “os policiais civis atuaram com técnica e energia na ação”. Já o diretor da 2ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (2ª DPRM), delegado Mario Souza, avaliou que foi fundamental a atuação em conjunto na perseguição da Polícia Civil e Brigada Militar.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895