capa

Ronnie Lessa e Élcio Queiros viram réus no caso Marielle Franco

Justiça também determinou arresto dos bens e imóveis em nome dos acusados, que foram presos na última terça-feira

Por
R7

Advogados de Ronnie Lessa e Elcio Viana, suspeitos do assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, negaram envolvimento de seus clientes no caso

publicidade

O sargento da Polícia Militar reformado Ronnie Lessa e o ex-policial militar Élcio Queiroz tornaram-se réus na ação que investiga o caso Marielle Franco. Presos na terça-feira passada, eles vão responder por duplo homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, emboscada – recurso que dificultou a defesa da vítima), tentativa de homicídio contra a assessora que sobreviveu e também por crime de receptação.

Na decisão, o juiz Gustavo Kalil, do 4º Tribunal do Júri do Rio, autorizou em caráter urgente e liminar, o pedido de transferência dos acusados para um presídio federal de segurança máxima, que será indicado pelo Departamento Penitenciário Nacional (Depen). O arresto de todos os bens móveis e imóveis nos nomes dos acusados também foi determinado.

Segundo o pedido do Ministério Público do Rio de Janeiro, a medida é necessária para assegurar o ressarcimento dos danos materiais e morais causados à assessora que sobreviveu e aos familiares de Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes.