Ugeirm Sindicato faz nova denúncia contra presos em delegacias e viaturas no RS

Ugeirm Sindicato faz nova denúncia contra presos em delegacias e viaturas no RS

Entidade da classe dos policiais civis contabilizou ao menos 113 na manhã desta segunda-feira

Correio do Povo

Uma das viaturas ficou lotada de detidos na 2ª DDPA, em Porto Alegre

publicidade

A Ugeirm Sindicato contabilizou na manhã desta segunda-feira ao menos 113 presos em viaturas da Brigada Militar e celas de delegacias da Polícia Civil em Porto Alegre, Região Metropolitana, Vale do Rio dos Sinos, Vale do Paranhana e Litoral Norte. Todos aguardavam vagas no sistema prisional.

Conforme levantamento da entidade de classe dos policiais civis, a 2ª DPPA, no Palácio da Polícia, na avenida Ipiranga, na Capital, estava por exemplo com 19 presos. Em um determinado momento, sete viaturas da BM estavam paradas no local. A reportagem do Correio do Povo constatou até um sentado no banco do motorista de uma viatura devido à lotação.

Na 3ª DPPA, no bairro Navegantes, ainda na Capital, havia dois detidos. Na DHPP havia um indivíduo recolhido.

Já a DPPA de Canoas tinha 28 detidos. A DPPA de Viamão estava com 14, enquanto a DPPA de Gravataí possuía 12 também em sete viaturas da BM. A DPPA de Novo Hamburgo apresenta oito na mesma situação.

Por sua vez, a DPPA de São Leopoldo tinha sete. Já as DPPAs de Alvorada e Taquara abrigavam seis pessoas cada uma. O levantamento incluiu delegacias também de outras cidades, com números menores.

Ao Correio do Povo, o vice-presidente da Ugeirm Sindicato, Fabio Castro, denunciou que “se repete o mesmo quadro, ano após ano”. Ele constatou que o problema permanece “mesmo após o Poder Judiciário ter intimado o Governo do Estado a tomar uma decisão”.

O dirigente advertiu sobre os riscos, sobretudo aos policiais civis e militares que ficam na custódia dos presos até a obtenção de vagas nos presídios. “Parece que não solução. Caiu no senso comum infelizmente”, lamentou Fabio Castro.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895