Assalto em farmácia termina com perseguição e duas prisões em Porto Alegre
capa

Assalto em farmácia termina com perseguição e duas prisões em Porto Alegre

Dupla assaltou uma farmácia na rua Dr. Florêncio Ygartua, bairro Moinhos de Vento

Por
Jessica Hübler

Segundo a BM, os dois homens, de 40 e 42 anos, possuem diversos antecedentes criminais, homicídio doloso e latrocínio

publicidade

Dois criminosos foram presos na noite de sábado, em Porto Alegre, depois de assalto a uma farmácia na rua Dr. Florêncio Ygartua, bairro Moinhos de Vento, por volta das 21h. Após a Brigada Militar localizar os homens que haviam fugido em um veículo Volkswagen Gol de cor branca roubado, iniciou-se uma perseguição policial pelas principais vias da região Central cidade, que terminou com troca de tiros entre as avenidas Venâncio Aires e João Pessoa.

A Brigada Militar verificou nas câmeras de segurança que a dupla estava utilizando o veículo roubado e circulava pela avenidas de forma suspeita. Ao tentarem uma abordagem, os homens fugiram e a perseguição iniciou com troca de tiros. Os bandidos conseguiram ser contidos por volta das 23h, após um deles ser baleado. A dupla foi detida por roubo a estabelecimento comercial e porte ilegal de arma de fogo. Segundo a BM, os dois homens, de 40 e 42 anos, possuem diversos antecedentes criminais, homicídio doloso e latrocínio. 

Com os criminosos, foram encontrados um revólver marca Rossi, calibre 38, com duas munições intactas e duas deflagradas e dois aparelhos celulares, sendo um deles pertencente ao funcionário da farmácia. A vítima reconheceu os homens como sendo os autores do roubo, assim como, seu celular que havia sido subtraído. As partes foram conduzidas até a 2ª Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (2ª DPPA) para lavratura do auto de prisão em flagrante.

Criminosos levaram pertences de funcionários

Uma funcionária da farmácia atacada, que preferiu não se identificar, contou que os assaltantes chegaram em um carro, estacionaram logo após o estabelecimento. "Estávamos trabalhando e não havia nenhum cliente na loja. Um deles entrou, deu boa noite e se dirigiu ao balcão de medicamentos. Eu estava organizando as prateleiras e um dos meus colegas foi atender ele", contou.

No momento em que o funcionário iniciou o atendimento, o criminoso mostrou a arma. "Eu estava no mesmo corredor que o assaltante, de frente pra ele, mas estava longe. Assim que eu vi que a arma saí imediatamente e entrei para a área exclusiva para funcionários. Nesse momento alertei outros colegas do assalto, fechamos a porta e fui ligar para a polícia", relatou.

Segundo ela, o assaltante levou os pertences pessoais dos funcionários que estavam na loja, e ficou ameaçando eles e mandando que eles fizessem com que ela voltasse. "Só que como eu saí muito rápido, no momento que entrei na outra sala, batemos a porta e minha colega falou muito alto pra eu ligar para a polícia. Ficou muito claro que eu ia acionar a Brigada. Então o assaltante resolveu ir embora, mandou meus colegas se afastarem e ainda quando foi sair sacou mais uma vez a arma e apontou para um dos funcionários, ameaçando atirar", descreveu,

No final das contas, os criminosos não roubaram nenhum valor da farmácia. "A farmácia está localizada em um ponto conhecido por ter a Brigada Militar muito perto e o chamado foi atendido bem rápido. Já tinha sofrido dois assaltos a mão armada antes, mas não deixa de ser um susto. Ficamos preocupados de trabalhar e isso se tornar frequente agora com a quarentena, mas a polícia foi muito efetiva, chegaram rápido e quando conseguimos localizar um dos telefones roubados eles imediatamente foram atrás. Me dá mais segurança ver a resposta a Brigada", enfatizou.