Bolsonaro assegurou que cumprirá a Constituição, diz Braga Netto

Bolsonaro assegurou que cumprirá a Constituição, diz Braga Netto

Ministro da Defesa classificou como "ilações" as recentes críticas sobre ameaças de golpe militar pelo Poder Executivo

R7

O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, afirmou que o presidente Jair Bolsonaro cumprirá a Constituição

publicidade

O ministro da Defesa, Walter Braga Netto, classificou nesta terça-feira como "ilações" as recentes críticas sobre ameaças de golpe militar por membros do Poder Executivo. Segundo ele, o presidente Jair Bolsonaro garantiu que cumprirá a Constituição.

"As Forças Armadas cumprem o que está previsto na Constituição. O presidente da República já me assegurou que será cumprida a Constituição e, várias vezes me disse, que atuará dentro das quatro linhas do poder", afirmou Braga Netto durante audiência conjunta na Câmara dos Deputados.

A fala do ministro surge após questionamentos sobre a declaração do ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, dizendo que o artigo 142 da Constituição pode ser utilizado para conter eventuais crises institucionais "muito graves".

Ao comentar sobre a possibilidade de o Exército atuar como um poder moderador, Braga Netto reforçou que existem apenas Executivo, Legislativo e Judiciário “harmónicos e independentes” e defendeu que as Forças Armadas trabalham “dentro daquilo que está no artigo 142, sem especulações e sem ilações”.

De acordo com o artigo da Constituição citado, as Forças Armadas, constituídas pela Marinha, pelo Exército e pela Aeronáutica, "destinam-se à defesa da Pátria, à garantia dos poderes constitucionais e, por iniciativa de qualquer destes, da lei e da ordem".

De acordo com Braga Netto, não existe politização e nem política partidária dentro das Forças Armadas. "A política que é feita nas Forças Armadas é a de defesa do interesse das necessidades para os projetos estratégicos e para operação da força", sinalizou.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895