Bolsonaro chega aos EUA, onde se reunirá com Joe Biden pela 1ª vez

Bolsonaro chega aos EUA, onde se reunirá com Joe Biden pela 1ª vez

Presidente participará da IX Cúpula das Américas, na Califórnia, e de evento na Flórida

R7

Presidente participará da IX Cúpula das Américas, na Califórnia, e de evento na Flórida

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro desembarcou, na manhã desta quinta-feira (9), em Los Angeles, nos Estados Unidos, onde participará da IX Cúpula das Américas, evento que reunirá líderes de todo o continente. Além do evento, está previsto, já para esta quinta, uma reunião bilateral com o presidente Joe Biden.

Será o primeiro encontro entre os dois chefes de Estado desde que o democrata chegou à Casa Branca, em 2021. A reunião deve durar cerca de 35 minutos, segundo a agenda oficial de Bolsonaro. Entre os assuntos que devem ser discutidos pelos líderes estão o combate à insegurança alimentar, a situação econômica, a energia renovável e o meio ambiente.

Bolsonaro desembarcou no Aeroporto Internacional de Los Angeles acompanhado da primeira-dama Michelle Bolsonaro. A comitiva presidencial inclui ainda os ministros das Relações Exteriores, Carlos França; da Saúde, Marcelo Queiroga; e da Justiça, Anderson Torres.

Como adiantou o Blog do Nolasco, os americanos querem que seja aprovada uma declaração conjunta dos países sobre o meio ambiente e buscam o apoio do Brasil para dar força ao compromisso. Fontes com acesso às negociações informaram que o documento deve ter o apoio brasileiro.

O tema é caro ao governo, uma vez que Bolsonaro recebe críticas em relação à gestão de combate ao desmatamento na região amazônica, que registra alta. Em abril deste ano, 1.013 km² de floresta foram devastados, conforme os dados do sistema de alertas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Esse é o maior número para o mês desde o início da série histórica, em 2016.

A IX Cúpula das Américas, no estado da Califórnia, começou na segunda-feira (6) e se estenderá até esta sexta (10). Havia o temor de que o evento pudesse ser esvaziado, uma vez que há a ausência de diversos presidentes, como o mexicano Andrés Obrador, crítico da decisão dos Estados Unidos de excluir Cuba, Nicarágua e Venezuela por considerá-los países não democráticos.

No discurso de abertura, realizado na quarta-feira (8) e, portanto, sem a presença de Bolsonaro, Biden convocou os líderes da América Latina e do Caribe a se unirem e demonstrarem que a democracia "é o ingrediente essencial para o futuro". "Nossa região é grande e diversificada. Nem sempre concordamos em tudo, mas em uma democracia abordamos nossas divergências com respeito mútuo e diálogo", disse.

Biden incentivou os participantes a se unirem "em torno de ideias ousadas, ações ambiciosas, para demonstrar ao nosso povo que o incrível poder das democracias oferece benefícios concretos e melhora a vida de todos".

Veja Também

Vice-Consulado do Brasil em Orlando

Bolsonaro vai estender a viagem e visitará a Flórida, reduto de brasileiros no país, nos dias 10 e 11. Na ocasião, o presidente deve se encontrar com apoiadores, empresários e autoridades, além de inaugurar o Vice-Consulado do Brasil em Orlando, no sábado.

A nova repartição consular é subordinada ao Consulado-Geral em Miami e terá funções exclusivamente consulares para auxiliar os brasileiros lá residentes e os de passagem – estima-se que cerca de 475 mil brasileiros moram na Flórida.

Numa primeira fase, o Vice-Consulado processará atestados de vida, registros de nascimento, autorização de retorno ao Brasil, autorização para viagem de menores de idade e autorização para concessão de passaporte a menor de idade.

O Vice-Consulado em Orlando é o primeiro dos cinco consulados criados para atendimento dos brasileiros no exterior a ser aberto. As outras quatro repartições consulares a ser instaladas são os Consulados-Gerais em Marselha (França), Edimburgo (Reino Unido) e Chengdu (China), além do Vice-Consulado em Cusco (Peru).


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895