Bolsonaro prevê desabastecimento se caminhoneiros não cumprirem fim de atos até domingo

Bolsonaro prevê desabastecimento se caminhoneiros não cumprirem fim de atos até domingo

Presidente recebeu representantes das categorias e considerou protestos com bloqueios legítimos

AE

Caminhões seguiam espalhados com manifestações pelo país

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, na noite desta quinta-feira, que, se o movimento dos caminhoneiros não acabar até este domingo, o país terá problemas de abastecimento. Na transmissão semanal ao vivo nas redes sociais, Bolsonaro disse que a categoria fez "uma coisa fantástica ao ajudar nesse movimento". O presidente disse também que não influenciará na "vida" dos membros da categoria por ser um chefe de Estado.

"Falaram que iriam manter o movimento até domingo, é um direito deles, que vão suspender depois de domingo, eu não influencio nessa área", afirmou. O presidente declarou também que os caminhoneiros realizaram os protestos por livre e espontânea vontade e gastando dinheiro do próprio bolso. "Deram um recado para todos nós, de todos os Poderes, que estamos aqui em Brasília, que nós devemos respeitar a Constituição", disse.

O mandatário se reuniu com o ex-presidente Michel Temer nesta quinta, em Brasília. O encontro no Palácio do Planalto foi para conversar sobre a crise política e a paralisação dos caminhoneiros. Por sugestão de Temer, Bolsonaro fez um manifesto pela pacificação

Mais cedo, após reunião com Bolsonaro e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, caminhoneiros indicaram que devem continuar mobilizados até serem recebidos pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Caminhoneiros bolsonaristas pressionam o parlamentar a avaliar pedido de abertura de processo de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895