CEO da VTCLog não vai comparecer para depor na CPI da Covid-19

CEO da VTCLog não vai comparecer para depor na CPI da Covid-19

Em nota, a empresa disse que Andréia Lima tem agenda em São Paulo para gerenciar a chegada de lotes de vacinas

R7

A VTCLog é a empresa responsável por receber, armazenar e distribuir as vacinas contra o coronavírus

publicidade

A empresa de logística VTCLog informou em nota que a CEO Andréia Lima não comparecerá à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 nesta terça-feira (31). A justificativa é que a executiva tem uma agenda prévia de viagem relacionada com a distribuição de vacinas. Andréia foi convocada em julho, mas a sua oitiva foi incluída na agenda da CPI na noite da última segunda-feira (30), depois que o motoboy Ivanildo Gonçalves foi desobrigado a comparecer à comissão por decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Nunes Marques.

"O recebimento desta convocação específica foi feito após 22h desta segunda, às vésperas de tarefas inadiáveis que exigem a sua presença na capital paulista para, entre outros compromissos, gerenciar todos os potes recém-chegados de vacinas e, impreterivelmente hoje, definir sobre a contratação de tecnologia para transporte da Pfizer", informou a empresa em nota.

Andréia Lima é executiva da VTCLog, empresa contratada pelo Ministério da Saúde para receber, armazenar e distribuir as vacinas contra o coronavírus. Registros telefônicos de Roberto Ferreira Dias, ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, indicam que os dois conversaram mais de 100 vezes.

A VTCLog firmou diversos contratos com o governo federal, a maior parte deles com o Ministério da Saúde. Os senadores suspeitam de irregularidades em relação às contratações com a Saúde, em especial de um contrato firmado quando Roberto Dias estava à frente da Diretoria de Logística. Dias é investigado na CPI e passou a ser alvo depois que foi denunciado à comissão um suposto pedido de propina de US$ 1 por dose de vacina contra Covid-19.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895