Davati recua e diz que denunciante negociou vacinas com governo

Davati recua e diz que denunciante negociou vacinas com governo

Empresa contradiz seu primeiro posicionamento sobre Luiz Paulo Domiguetti, que denunciou pedido de comissão por doses

R7

Luiz Paulo Dominguetti Pereira depõe na CPI da Covid nesta quinta

publicidade

A Davati Medical Supply admitiu que Luiz Paulo Dominguetti Pereira intermediou a negociação da empresa com o governo brasileiro por vacinas. Ele afirmou ao jornal "Folha de S. Paulo" que recebeu suposto pedido de propina de US$ 1 para fechar contrato com o Ministério da Saúde. 

Em razão da denúncia, foi chamado para depor na CPI da Covid nesta quinta-feira. A empresa do ramo farmacêutico afirmou, porém, que se trata de um “vendedor autônomo” sem vínculo empregatício.

A informação sobre a participação do vendedor na negociação é diferente da primeira divulgada pela Davati na quarta-feira, quando disse que Dominguetti não era seu representante no Brasil e que desconhecia qualquer discussão entre o vendedor e o governo brasileiro. 

Na nova nota divulgada à imprensa, a companhia norte-americana disse que seu representante no Brasil é Christiano Alberto Carvalho. Sobre Dominguetti, a empresa afirmou que "ele apenas intermediou a negociação da empresa com o governo, apresentando o senhor Roberto Dias". Este era servidor do Ministério da Saúde e foi demitido.

A Davati informou ainda que "não tem conhecimento" sobre o pedido de comissão para o fechamento do contrato. 


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895