Está proibido falar em Renda Brasil no meu governo, diz Bolsonaro

Está proibido falar em Renda Brasil no meu governo, diz Bolsonaro

Presidente usou as redes sociais para informar que o Bolsa Família seguirá até 2022

Correio do Povo e AE

Bolsonaro anunciou a continuidade do Bolsa Família

publicidade

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais para anunciar a continuidade do Bolsa Família, o que representa uma desistência do Renda Brasil. Pelo Twitter, o chefe de Estado brasileiro citou uma série de matérias jornalísticas para negar a intenção de tirar dinheiro dos "pobres para dar aos paupérrimos". 

"Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final", disse. 

 

Após a publicação do vídeo, o presidente se reuniu com o ministro Paulo Guedes em compromisso que não estava na agenda de nenhum dos dois. 

"Eu já disse há poucas semanas que jamais vou tirar dinheiro dos pobres para dar para os paupérrimos. (...) Por parte do governo jamais vamos congelar salários de aposentados bem como jamais vamos fazer com que o auxílio para idosos e pobres com deficiência seja reduzido para qualquer coisa que seja", afirmou. 

A ideia de congelar os benefícios previdenciários (aposentadorias, pensões, auxílio doença e salário-família) por dois anos foi confirmada pelo secretário especial de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues. A medida atingiria tanto quem ganha um salário mínimo (hoje, em RR$ 1.045), como quem recebe acima disso e permitiria, inclusive, benefícios menores que o piso - o que é proibido atualmente.

Guedes é chamado para se explicar

O ministro da Economia, Paulo Guedes, foi convocado ao Palácio do Planalto para se explicar. Ele participaria do evento online "Painel Tele Brasil 2020", às 9h30. Segundo a organização do evento, o ministro foi chamado para uma reunião de última hora com o presidente Jair Bolsonaro e sua fala passou para as 12 horas. Questionada se Guedes já se encontra no Palácio do Planalto, a assessoria do ministério não soube informar onde o ministro está.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895