Fornecedora de leite condensado para o governo nega irregularidade nas vendas

Fornecedora de leite condensado para o governo nega irregularidade nas vendas

Empresa afirma que duas caixas com 27 unidades do produto foram vendidas por R$ 162

R7

Presidente Jair Bolsonaro disse que a compra de mais de R$ 15 milhões em leite condensado foi feita para alimentar 370 mil militares

publicidade

A empresa Saúde & Vida Comercial de Alimentos Eireli, responsável pelo polêmico fornecimento de leite condensado para o Ministério da Defesa, afirma que não existiram irregularidades nas vendas. A possível venda de uma única lata do produto por R$ 162 foi negada. Segundo a empresa, o valor foi pago para o fornecimento de duas caixas com 27 unidades de leite condensado, o que corresponde a R$ 6 por cada lata.

Em meio a repercussão negativa sobre os valores gastos com alimentos, o presidente Jair Bolsonaro rebateu as críticas e disse que a compra de mais de R$ 15 milhões em leite condensado foi feita para alimentar 370 mil militares. Segundo ele, o produto é usado também em programas de alimentação via Ministério da Cidadania e Ministério da Educação.

O Ministério da Defesa, por sua vez, diz que os alimentos foram utilizados para alimentar 370 mil homens e mulheres no ano passado, De acordo com a pasta, o grupo diariamente realiza suas refeições em 1.600 organizações militares em todo o Brasil.

Veja Também


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895