Governo lança Bolsa Família com novos benefícios complementares e pagamento em 20 de março

Governo lança Bolsa Família com novos benefícios complementares e pagamento em 20 de março

Programa pagará R$ 600 e vai considerar tamanho e característica de cada família

Correio do Povo

publicidade

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, nesta quinta-feira, 2, a Medida Provisória (MP) que define os novos parâmetros do Bolsa Família. A iniciativa, apresentada em cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília, contará com pagamento de R$ 600 e terá dois benefícios complementares, que irá considerar o tamanho e a característica de cada família. Um deles é voltado para dar atenção à primeira infância - sendo R$ 150 para cada criança de até seis anos. O segundo, de renda e cidadania, prevê R$ 50 para cada integrante com idade entre sete e 18 anos incompletos e gestantes. Os valores começarão a ser depositados em 20 de março. O texto será encaminhado ao Congresso.

O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, foi o responsável por fazer a apresentação do programa. "Estamos trazendo de volta o conceito de renda básica, do mínimo", disse Dias. Dessa forma, os beneficiários vão receber no mínimo R$ 600, como prometido por Lula durante a campanha eleitoral. O objetivo do governo é garantir que famílias maiores recebam mais recursos, como forma de combater a desigualdade.

A informação do novo cálculo com base no número de integrantes da família havia sido confirmada na terça-feira (28) pelo ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias. "Terá uma regra que leva em conta a renda per capita e o tamanho de cada família para que a gente tenha mais justiça nessa transferência de renda", afirmou o titular.

Também estiveram presentes no evento a primeira-dama, Janja da Silva, os ministros da Fazenda, Fernando Haddad, da Educação, Camilo Santa, do Desenvolvimento Agrário, Paulo Teixeira, dos Portos e Aeroportos, Márcio França, da Casa Civil, Rui Costa, e a ministra Simone Tebet, do Planejamento. Também participam a presidente da Caixa Econômica, Rita Serrano, o líder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE), o líder do governo no Congresso, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o deputado federal Reginaldo Lopes (PT-MG).

 


Mais Lidas

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895