Governo vai instalar mil novos radares de controle de velocidade em rodovias
capa

Governo vai instalar mil novos radares de controle de velocidade em rodovias

Ministro explicou que equipamentos fazem parte de acordo para edução de monitoramento nas estradas

Por
Agência Brasil

Freitas projetou economia de R$ 600 milhões com proposta

publicidade

O ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, afirmou nesta segunda-feira que o governo vai instalar mil radares para controle de velocidade nas rodovias administradas pela União. De acordo com o ministro, o número faz parte de um acordo que o governo federal e o Ministério Público Federal (MPF) fecharam para reduzir de 8 mil para 2,2 mil o número de pontos a serem monitorados.

"Existe uma diretriz do presidente que estamos seguindo de facilitar a vida do cidadão", garantiu o ministro sobre a decisão do governo de diminuir os pontos de monitoramento. "A gente verificou tecnicamente onde são os pontos que obrigatoriamente tem que ter radar e chegamos a mil equipamentos para 2,2 mil faixas monitoradas e isso foi acordado com o Judiciário e o MPF", apontou o ministro. Em mais de uma oportunidade, o presidente, Jair Bolsonaro, declarou a intensão de acabar com novas instalações deste tipo de monitoramento.

O contrato assinado ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer estava orçado em R$ 1 bilhão para a instalação de 8.015 radares em cinco anos. A instalação dos novos aparelhos foi suspensa em abril, após questionamentos sobre a medida. 

O ministro disse que, em um cenário de corte de gastos no governo, não seria razoável manter o contrato como estava. "É razoável nesse cenário de orçamento você ter contrato de R$ 1 bilhão de radar?", questionou. "Não é só o radar que salva vidas, a manutenção rodoviária, a correção geométrica, a sinalização salvam vidas".

De acordo com o ministro, com a revisão, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), responsável pela manutenção das estradas administradas pelo governo, deve conseguir uma economia de cerca de R$ 600 milhões.