Major Olimpio defende saída de Eduardo do comando de diretório estadual do PSL
capa

Major Olimpio defende saída de Eduardo do comando de diretório estadual do PSL

Apesar de destituição não ter sido confirmada pelo presidente do partido, parlamentares dão ela como certa

Por
AE

Major Olimpio apoia saída de Eduardo Bolsonaro de diretório do PSL em São Paulo

publicidade

Ainda sem uma definição oficial sobre a destituição de Eduardo Bolsonaro da presidência do diretório estadual de São Paulo do PSL, o senador Major Olimpio, ex-presidente do escritório paulista, defende que o filho do presidente seja destituído já. Apesar de o presidente da legenda, Luciano Bivar (PE), dizer que as destituições de Eduardo e do senador Flávio Bolsonaro, do diretório estadual do Rio de Janeiro, ainda não estão definidas, os parlamentares ligados a Bivar dão como certa a decisão.

"As decisões já estão tomadas. É uma questão de quando isso será efetivado. Pode ser que suba hoje no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A deputada Bia Kicis já foi afastada da direção do DF", disse Olímpio nesta sexta-feira.

Sobre a crise, o senador afirmou que a reunião desta sexta do partido é importante para se debater sobre os últimos acontecimentos e tentar "serenar os ânimos". Porém, ele admite que a única forma de isso acontecer de verdade é se o presidente Jair Bolsonaro chamar o presidente do PSL, Luciano Bivar (PE), para uma conversa. "Bivar não vai chamar Bolsonaro para conversar", afirmou. "Não quero que o PSL perca seu maior político, que é o Bolsonaro", afirmou.

"Mas pessoas ligadas a ele, como os filhos, terão de se portar de forma diferente. Na minha visão, hoje atrapalha em tudo", afirmou referindo-se aos filhos do presidente. O senador disse ainda que Bolsonaro acabou caindo em uma "armadilha política" com a influência do grupo de parlamentares e advogados que o levaram a pedir uma auditoria nas contas do partido.