No Twitter, deputado Major Vitor Hugo nega existência de acordo
capa

No Twitter, deputado Major Vitor Hugo nega existência de acordo

Ramos teria informado deputado de que não havia acerto entre parlamentares, contradizendo Bozzella, que mais cedo mencionou "armistício" entre as partes

Por
AE

"Ministro Ramos esclareceu que não fez qualquer acerto", disse deputado

publicidade

O conflito público entre as alas bivarista e bolsonarista do PSL, que ganhou novos capítulos nesta segunda-feira, parece longe de acabar. Pelo Twitter, o deputado Major Vitor Hugo (PSL-GO), que é líder do governo na Câmara Federal, negou que tenha havido um acordo entre as partes mediado pelo ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos.

Segundo o deputado, Ramos o contatou para informar que não havia qualquer acerto entre os parlamentares, contradizendo Júnior Bozzella (PSL-SP), que mais cedo mencionou um "armistício" entre as partes. O acordo incluiria, segundo Bozzella, a permanência de Delegado Waldir (PSL-GO) da liderança no PSL na Câmara até janeiro de 2020. A permanência de Waldir no cargo viria em troca do fim da suspensão das atividades partidárias de cinco parlamentares ligados a Bolsonaro.

"O ministro Ramos esclareceu que não fez qualquer acerto, que apenas manteve conversas preliminares e que não havia me falado nem mesmo sobre essas conversas porque não tinha havido avanços", escreveu Vitor Hugo no Twitter.

Também no Twitter, o deputado Filipe Barros (PSL-PR), que integra a ala bolsonarista do partido, deixou claro que a disputa pela liderança deve perdurar. "Se apresentarem 10 listas para manter o Waldir na liderança, apresentaremos 11. Se apresentarem 20 listas para manter o Waldir na liderança, apresentaremos 21", tuitou Barros.