"Perda de sintonia" entre Bolsonaro e Mandetta motivou troca na Saúde, avalia Onyx

"Perda de sintonia" entre Bolsonaro e Mandetta motivou troca na Saúde, avalia Onyx

Ministro da Cidadania disse que "o presidente, corajosamente, buscava olhar o país como um todo "

Por
Guilherme Kepler / Rádio Guaíba

Questionado sobre sua relação com Mandetta, Onyx disse respeitá-lo e que sempre tratou suas divergências diretamente com o ex-ministro

publicidade

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que a “perda de sintonia” entre o presidente Jair Bolsonaro e o ex-ministro Luiz Henrique Mandetta foi o motivo para a troca no Ministério da Saúde. Em entrevista à Rádio Guaíba, na manhã desta sexta-feira, Lorenzoni disse que Bolsonaro busca uma unidade ministerial para enfrentar a pandemia do novo coronavírus.

“Houve uma dessintonia entre o ex-ministro e o presidente Bolsonaro. O presidente, corajosamente, buscava  olhar o país como um todo, com um equilíbrio, pensando na preparação do sistema de saúde. Ele foi uma das primeiras autoridades mundiais a tentar buscar medicamentos alternativos. Então, nós temos muitas coisas acontecendo ao mesmo tempo. Eu acho que o presidente busca uma unidade absoluta de toda equipe, que é essencial para enfrentar esse momento”, declara.

Questionado sobre sua relação com Mandetta, Onyx disse respeitá-lo e que sempre tratou suas divergências diretamente com o ex-ministro. Na semana passada, um diálogo gravado entre Lorenzoni e o deputado Osmar Terra, acirrou ainda mais a relação dos ministros. Na gravação, Onyx afirma que “teria cortado a cabeça” de Mandetta e Terra afirmou que ajudaria. Hoje, Onyx disse que se tratava de uma conversa informal onde ambos estavam colocando suas opiniões frente à situação. O ministro da Cidadania afirmou ainda que a gravação foi ilegal e que o autor será processado.

Onyx também defendeu as decisões do presidente afirmando que nesse momento é preciso ter racionalidade e equilíbrio nas questões da saúde e da economia. Ressaltou ainda que Bolsonaro não tem nenhuma dificuldade com a popularidade de alguns ministros. Lorenzoni garantiu também que seguirá demonstrando lealdade a Bolsonaro independentemente de quem estiver ao seu lado, fazendo referência à coletiva de imprensa da última terça-feira, no Palácio do Planalto, onde Luiz Henrique Mandetta estava ao seu lado.

“Bom, a minha lealdade ao presidente é inquestionável e o meu compromisso com ele também. Eu tenho absoluta concordância e expressei isso na última terça-feira como faço de frente e quem estava do meu lado? Luiz Henrique Mandetta. Eu fiz uma manifestação muito forte dizendo exatamente do meu compromisso pessoal, da minha concordância e da minha lealdade porque o presidente está sendo leal a todos os brasileiros quando busca o posicionamento de equilíbrio ao cuidar da saúde, mas também de não matar o futuro do Brasil com fome, miséria e desemprego”, afirma.


Outro assunto abordado durante a entrevista foi o fato da Câmara dos Deputados ter dado prazo de 30 dias para Bolsonaro apresentar o resultado dos exames de coronavírus. Sobre isso, Onyx disse apenas que não vê razão para se politizar essa questão.