Porto Alegre quer operações de call center do Santander

Porto Alegre quer operações de call center do Santander

Em Madrid, prefeito ofereceu reduções de impostos para atrair investimentos. Presidente global estará no RS na próxima semana

Mauren Xavier, direto de Madri

Integrantes da comitiva estadual foram recepcionados pelo presidente global do Santander, Jose Antonio Alvarez

publicidade

Na primeira reunião oficial da comitiva governamental do Rio Grande do Sul na Europa, o prefeito de Porto Alegre, Sebastião Melo (MDB), apresentou proposta de redução do ISS, imposto local, para que o banco Santander amplia as operações de call center na cidade. A indicação inicial seria reduzir o ISS para 2% e também rever a base da tributação. O banco já tem duas unidades no Estado para operar esses serviços, uma grande unidade recentemente inaugurada em Novo Hamburgo e outra em Campo Bom. 

Ao ser questionado se estaria tentando captar investimentos de outras cidades, no caso mais específico de Novo Hamburgo, que é chefiada por Fátima Daudt (PSDB), o prefeito disse não "querer tirar nada de ninguém". "Mas não poderia perder a oportunidade", comentou após o encontro. Ele explicou que a discussão teve início uma vez que o banco informou que pretende ampliar as operações no Estado. "Hoje a incidência de ISS sobre Call Center é 2,5%. Topamos baixar pra 2% e também reduzir a base de cálculo", resumiu.  

A proposta foi feita durante reunião com o presidente global do banco, Jose Antonio Alvarez, que inclusive confirmou que estará no Rio Grande do Sul na próxima semana. Um dos compromissos já marcados é a visita ao governador Eduardo Leite, no Palácio Piratini. Alvarez também falou sobre a perspectiva de ampliar a presença do banco no Estado com a abertura de novas unidades nos próximos anos.

Sobre a reunião, Leite pontuou que o Santander têm importantes investimentos no RS, como a a operação de unidades de call center, que geram milhares de empregos, e também por ser um banco que estrutura os investimentos das empresas nas privatizações que o Estado está fazendo, como no caso da Equatorial, que adquiriu a CEEE-D, e da CPF, que  na venda da CEEE-T. "É um banco também importante nesse processo de estruturação de privatizações. E como temos várias privatizações pela frente ainda esse contato é importante". Também participaram do encontro o presidente da Assembleia, Gabriel Souza, e o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Edson Brum.

Espanto em Novo Hamburgo 

Após o desejo de Porto Alegre em receber as operações de call center do Santander, a prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, se manifestou sobre o assunto através de uma nota e relatou que o trabalho já está consolidado no município da região Metropolitana.

"As operações do Grupo Santander estão bem consolidadas em Novo Hamburgo, onde propiciamos um ambiente de negócios confiável, infraestrutura adequada e mão de obra qualificada para as funções. A escolha do Grupo Santander por Novo Hamburgo se deu após uma longa pesquisa da empresa, que avaliou várias cidades no Brasil. Nesta terça-feira, inclusive, recebo a vice-presidente do Grupo Santander, Patrícia Audi, para consolidarmos ainda mais essa parceria. De toda forma, me causa espanto as tratativas de disputas fiscais dentro do Rio Grande do Sul em uma missão do governo do Estado", disse Fátima. 

Veja Também

Investimentos na Usina do Gasômetro e nos 250 anos

No encontro, o prefeito também apresentou projeto relacionado aos 250 anos de Porto Alegre, que serão completados no próximo ano. Outra iniciativa é a possibilidade de investimentos na Usina do Gasômetro, que atualmente está em obras. 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895