Roberto Jefferson ataca e pede expulsão de embaixador chinês

Roberto Jefferson ataca e pede expulsão de embaixador chinês

Ex-deputado e presidente do PTB chamou embaixador da China no Brasil de "macaco" e disse que Bolsonaro devia expulsá-lo

R7

Ex-deputado e presidente do PTB chamou embaixador da China no Brasil de "macaco" e disse que Bolsonaro devia expulsá-lo

publicidade

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, ex-deputado federal, delator e preso pelo esquema do mensalão, publicou nesta quinta-feira um vídeo com ataques ao embaixador da China no Brasil, Yang Wanming. O embaixador ainda não se pronunciou sobre os ataques. 

O vídeo foi publicado horas depois de Roberto Jefferson ter sido condenado em segunda instância a indenizar o ministro Alexandre de Moraes por tê-lo chamado de  "Xandão do PCC".

Nas imagens, Jefferson está com duas pistolas em frente a uma bandeira do Brasil e, após criticar o desarmamento dizendo que o "monopólio da força do Estado foi uma tentativa da esquerda de nos desarmar, para impedir que nós nos defensamos", ele chama o embaixador de malandro e diz que Bolsonaro devia expulsá-lo do País:

"Os comunistas, como esse chinês malandro, que está aí, hoje na Embaixada da China, que tem que ir embora. O presidente tem que mandá-lo embora. Ele está afrontando o presidente da República. Esse xing ling embaixador (sic)". O ex-deputado segue e ao final chama o embaixador de "macaco":

"Quando tudo tiver euxarido, nós somos a retraguarda. E só por cima do nosso cadáver é que vão implantar aqui o regime ateu marxista comunista onde um palhaço, macaco, com realismo que repete dogmas de Marx e Mao como esse embaixador da China. Dá ordens, ele é Deus, ele substitui Deus, mas eu não me ajoelho a esse macaco chinês. Só por cima do meu cadáver (sic)”.

Roberto Jefferson já defendeu a formação de milícias e a prática de tortura contra comunistas em outros vídeos publicados nas redes sociais. A sua conta já foi retirada do ar algumas vezes pela rede social. 

As declarações estão sendo duramente criticadas por deputados federais, como a deputada Fernanda Melchionna (PSol-RS), que compartilhou o vídeo: 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895