Senador quer convocar filho de Bolsonaro após provocação à CPI

Senador quer convocar filho de Bolsonaro após provocação à CPI

Jair Renan Bolsonaro postou vídeo ao lado de armas, mencionando em descrição a comissão: "Alô CPI"

R7

Renan publicou um vídeo mostrando ao menos dez pistolas nas redes sociais

publicidade

Jair Renan, filho do presidente Jair Bolsonaro, é alvo de pedido para comparecer à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. Ele provocou os senadores, na manhã desta segunda-feira, ao postar nas redes sociais um vídeo mostrando ao menos dez pistolas e mencionando a comissão: "Alô CPI", dizia a frase acompanhada por risos.

Agora, a CPI quer ouvi-lo. Autor do requerimento, o senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE) quer que Renan justifique "as supostas ameaças feitas a esta Comissão Parlamentar de Inquérito através de vídeo em loja de armamentos". 

Pelo Twitter, Vieira, ainda, disse que o 04 terá oportunidade de dar "pessoalmente um alô para a CPI". Outro motivo da convocação é a necessidade de esclarecimentos sobre o vínculo de Renan com Marconny Albernaz Faria. 

Albernaz é apontado como lobista da empresa Precisa Medicamentos, investigada pela CPI e que fechou um contrato com o Ministério da Saúde para venda de 20 milhões de doses da vacina indiana Covaxin a R$ 1,6 bilhão. 

Em depoimento à CPI, em 15 de setembro, o lobista confirmou ter auxiliado na abertura do escritório de Renan, localizado no estádio Mané Garrincha. Em dezembro do ano passado, Albernaz comemorou o aniversário no camarote do filho 04, que fica no estádio. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895