Tom conciliador de Eduardo Leite é destacado por políticos

Tom conciliador de Eduardo Leite é destacado por políticos

Tucano aceitou ser alternativa para concorrer à presidência ontem

Mauren Xavier

O deputado mineiro Paulo Abi-Ackel afirmou que Leite está chamando atenção pelo "excepcional trabalho que está fazendo aqui no Estado”

publicidade

Após encontro entre integrantes da bancada do PSDB, o governador do Eduardo Leite aceitou ser alternativa tucana à Presidência da República. O perfil conciliador e o estilo de fazer política de Leite foram ressaltados pelos colegas de partido. O compromisso de percorrer o país foi aceito após almoço com parlamentares do partido, no Galpão Crioulo, do Palácio Piratini, ontem. 

 Para o deputado mineiro Paulo Abi-Ackel, Eduardo Leite está chamando a atenção pelo “excepcional trabalho que está fazendo no Estado” e pelo seu estilo “firme, mas extremamente habilidoso, pela maneira de construir o consenso e diálogo”. “Não basta saber a solução do problema, tem que saber como fazer para resolver o problema. Acho que o brasileiro está farto deste momento de certo radicalismo e mais áspero da política. E Eduardo Leite com essas características está chamando muito a atenção”, ressaltou. Ele conclui que essas características fazem com que Leite seja a liderança que mais agrada e tem a maior simpatia da bancada federal do PSDB. 

Único senador presente, Rodrigo Cunha (PSDB -AL) chegou a abrir o seu discurso informando que “estar neste momento (reunião) faz sentido estar no PSDB”, se referindo à reunião produtiva. Na mesma linha, o deputado Paulo Cunha Lima (PSDB-PB) disse admirar o que o governador gaúcho representa, indo contra os modelos de extremismos. “O governador é um pilar para construir uma caminhada para o Brasil”, afirmou. 

Em resposta aos elogios, Leite enalteceu a maneira de se fazer político do Rio Grande do Sul. “Viemos para compartilhar que temos uma mesma visão de fazer política. Uma forma de fazer política que o Rio Grande do Sul faz e o que o país tenha esquecido”, completou.

Veja Também

 


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895