TRE faz avaliação positiva das eleições no RS: "pleito ocorreu com tranquilidade"
capa

TRE faz avaliação positiva das eleições no RS: "pleito ocorreu com tranquilidade"

Dall'Agnol elogiou a ação da Brigada Militar na garantia do clima equilibrado

Por
Heron Vidal

TRE faz avaliação positiva das eleições no RS

publicidade

Quando não havia mais como José Ivo Sartori superar, nas urnas, a diferença de votos do seu adversário Eduardo Leite, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RS), desembargador Jorge Luís Dall'Agnol, fez a comunicação da vitória do candidato do PSDB sobre o governador, no começo da sua entrevista coletiva no auditório da corte.

Eram 19h07min e, naquele momento, mais de 90% dos votos já haviam sido apurados. A diferença a favor de Leite sobre Sartori superava 300 mil votos e faltavam pouco mais de 200 mil votos para se encerrar a contagem oficial no RS.

Tranquilidade


Logo após, o desembargador fez balanço do processo de votação e ressaltou a grande tranquilidade vista no segundo turno das eleições no RS. Atribuiu o fato ao trabalho realizado pelos servidores da Justiça Eleitoral gaúcha, pelos mesários e a boa orientação repassada aos eleitores.

Dall'Agnol elogiou também a ação da Brigada Militar na garantia do clima equilibrado do pleito. Também não houve filas nas sessões eleitorais, nem reclamações com a votação biométrica. Ao todo, afirmou, foram registradas 91 ocorrências policiais e 334 urnas tiveram que ser substituídas (no primeiro turno houve 237 prisões e 669 urnas foram trocadas).

"A partir desta segunda já estaremos trabalhando para as eleições de 2020", anunciou Dall'Agnol, ao se referir à escola de vereadores e prefeitos. Aproveitou para demonstrar a sua satisfação com os eleitores, que no segundo turno "votaram com o espírito desarmado" no Estado na comparação com o primeiro turno.

Fake news

O problema maior ficou por conta da intensidade das fake news nas redes sociais, avaliou o presidente do TRE-RS. "Elas foram as grandes protagonistas dessa eleição, mas nós conseguimos vencer esses obstáculos e até reverter o quadro em apenas três semanas, do primeiro turno até o segundo", disse.

No balanço final da Brigada Militar, sobre o segundo turno, foram contabilizados em todo o RS duas prisões em flagrante e outras 27 por crimes de menor potencial ofensivo (menos de dois anos de prisão). Houve o registro de 18 casos de boca de urna, dois desacatos, e um crime de transporte irregular de eleitor e além de mais outros oito crimes diversos.