Delegacia investiga origem de animais apreendidos

Delegacia investiga origem de animais apreendidos

Operação identificou fraudes nos lançamentos de animais no sistema da Defesa Agropecuária da Secretaria Estadual da Agricultura

Correio do Povo

A Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato de Bagé apura a procedência dos 731 bovinos e 80 ovinos apreendidos na operação Colônia, na semana passada. Segundo o delegado André Mendes, os animais permanecem nas três propriedades onde foram localizados – duas em Aceguá e uma em Bagé – tendo em vista a dificuldade de transferi-los e pela própria ausência de lugar para confinamento de tantas cabeças. “Foi a maior apreensão em uma única operação que tenho conhecimento”, afirmou Mendes.

A investigação identificou fraudes nos lançamentos de animais no sistema da Defesa Agropecuária da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr). Os animais furtados eram movimentados com o uso de notas e Guias de Trânsito Animal falsas. Uma propriedade na qual foi encontrada grande parte das cabeças não tinha animais registrados no sistema da Seapdr.

O delegado explica que os donos das propriedades onde os animais foram localizados assinaram um documento como depositários. Eles ficam proibidos de emitir Guias de Trânsito Animal (GTAs) e de movimentar o rebanho. Mendes diz que as investigações sobre abigeato, organização criminosa, posse irregular de arma de fogo e outros crimes prosseguem na região e que outras diligências serão feitas para conclusão do inquérito policial.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895