capa



Busca por maior produtividade leva produtores a investir em equipamentos de irrigação

Empresas do setor comemoram os resultados e apontam que as vendas devem ficar acima do ano passado

Por
Correio do Povo

Para atrair os agricultores, as empresas apostam em novas tecnologias, com o aumento de eficiência no processo de irrigação e a crescente automação, o que inclui máquinas que operam por meio de telemetria

publicidade

A busca por maior produtividade tem levado muitos produtores a investir em equipamentos de irrigação durante a Expodireto Cotrijal, em Não-Me-Toque. Empresas do setor comemoram os resultados e apontam que as vendas devem ficar acima do ano passado. Os pivôs são apontados como um dos principais responsáveis pelo aumento de produtividade verificado na safra atual, especialmente no milho. Para atrair os agricultores, as empresas apostam em novas tecnologias, com o aumento de eficiência no processo de irrigação e a crescente automação, o que inclui máquinas que operam por meio de telemetria.

Produtor de milho e soja em Campo Novo, Alencar Rizzardi, de 32 anos, adquiriu ontem dois equipamentos de irrigação, um para 64 hectares e um de 42 hectares. A compra foi efetuada após pesquisa baseada em preços e qualidade. Na lavoura de milho, o agricultor obteve uma produtividade de 248 sacas por hectare na área irrigada, e de 185 nas áreas próximas, na última safra. A intenção do produtor é fazer novas aquisições no futuro para atingir a percentagem de 20% a 30% de área irrigada na sua propriedade. “Temos a previsão de adquirir mais quatro ou seis pivôs nas áreas próximas para chegar em uma margem próxima de 25% de área irrigada, como dizem os especialistas”, revelou o agricultor.

O supervisor comercial regional da Valley, Cássio Scherer, diz as vendas e as intenções de negócios estão superando os números registrados na feira passada. Até quarta-feira, a empresa já tinha um resultado em torno 20% maior do que nos três primeiros dias do evento anterior. Em 2018, a empresa comercializou R$ 11 milhões. “O produtor está procurando por irrigação e nesta Expodireto vejo que tem uma demanda maior com recursos próprios, sinal que o produtor está desembolsando dinheiro porque precisa do equipamento”, observa. Ele observa que ainda tem recursos disponíveis na linha de crédito do Moderinfra a taxas de juros subsidiadas. Segundo Scherer, uma das novidades apresentadas pela Valley na feira é uma geração nova de painéis que permitem o controle do pivô de irrigação à distância (telemetria). “Na tela do smartphone ele vai ter controle total do pivô”.

No estande da Fockink, uma das principais empresas do setor, a expectativa é por um aumento de 60% a 70% nas vendas em relação à edição passada da Expodireto. O cenário foi classificado como promissor principalmente após o movimento registrado ontem, quando o tempo bom trouxe um grande número de visitantes ao Parque da Cotrijal. "Os produtores estão mais satisfeitos com o cenário político", justificou o gerente de marketing da empresa, Oscar Strücker. Outros fatores positivos citados são a perspectiva de uma boa safra e a reabertura de linhas de crédito do BNDES. Entre as apostas da empresa para esta edição da Expodireto estão equipamentos que trabalham com menor consumo de água e de energia elétrica. A empresa também observou uma grande demanda por equipamentos de energia fotovoltaica.