Governo nega ampliar rebate de dívidas

Governo nega ampliar rebate de dívidas

Reunião com entidades não representou avanços para aumentar alcance de políticas

Camila Pessôa

publicidade

O governo federal negou o pedido da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag-RS) e do deputado federal Heitor Schuch para ampliar o rebate de 35,2% aos financiamentos do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) com vencimento até dezembro. O benefício foi concedido aos custeios e/ou investimentos, sem seguro, com vencimento programado entre 1º de janeiro a 31 de julho de 2022. 

Segundo a Fetag, a argumentação dos representantes dos ministérios da Economia e da Agricultura, com quem se reuniu ontem, é de que a utilização da verba remanescente do montante de R$ 1,2 bilhão, destinado ao apoio de agricultores familiares, em março, é legalmente inviável, já que o período de emergência terminou. “Temos produtores que vão ter que vender coisas para quitar suas dívidas”, lamenta o presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva.

 



Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895