Grupo de trabalho discute mudanças no Irga

Grupo de trabalho discute mudanças no Irga

Representantes da área pública e de entidades vão propor reformulação administrativa

Por
Correio do Povo

Imagem registrada na abertura da colheita do arroz deste ano em Capão do Leão


publicidade

A modernização administrativa do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga) começa a ser discutidas nesta terça-feira pelo Grupo de Trabalho (GT) constituído pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) para tratar do assunto. Segundo o secretário da Agricultura, Covatti Filho, a reunião deve dar início a um longo trabalho de análise da autarquia para encontrar as estratégias necessárias aos novos passos.

“Nós atendemos a uma demanda do próprio conselho deliberativo do Irga ao instituir o grupo”, ressalta Covatti Filho. “Ele irá estudar mudanças estatutárias e na área de gestão para minimizar, entre outras questões, a perda de muitos membros do seu quadro funcional em razão dos baixos salários”, comentou o secretário.

Fazem parte do grupo o diretor do Departamento de Diagnóstico e Pesquisa Agropecuária da Seapdr, Caio Fábio Stoffel Efrom; o coordenador regional da Fronteira Oeste do Irga, Ivo Mello; o presidente da Federarroz, Alexandre Velho; o representante do Sindicato Rural de Tapes, Cláudio Tavares; e o diretor da Farsul, Fernando Rechsteiner. A coordenação será do diretor de Políticas Agrícolas e Desenvolvimento Rural da Seapdr, Ivan Bonetti. De acordo com Covatti Filho, o grupo ouvirá representantes da sociedade civil, de servidores e de produtores rurais para formular seu diagnóstico.


O presidente da Federarroz, Alexandre Velho, apontou que a formação do grupo é uma abertura dada pela secretaria para que se invista na autonomia do Irga, tanto para remunerar melhor seus servidores como para que se dedique à defesa do produtor rural. “É um pedido do setor que vem desde o governo Sartori”, lembra. “Agora poderemos nos dedicar e estabelecer prioridades para o instituto”, acredita.