Repasse integral da taxa CDO traz expectativa de modernização do Irga

Repasse integral da taxa CDO traz expectativa de modernização do Irga

Até então, parte dos recursos eram destinados ao caixa único

Patrícia Feiten

publicidade

O repasse integral da taxa de Cooperação e Defesa da Orizicultura (CDO) ao Instituto Rio-Grandense do Arroz (Irga) a partir do próximo ano abre perspectivas para modernização da gestão, investimentos em pesquisa e a correção da defasagem salarial dos servidores da autarquia, segundo o novo presidente da instituição, Rodrigo Machado. Criada em 1968, a contribuição é recolhida dos agricultores, mas apenas 60% da receita, em média, fica no Irga e o restante é destinado ao caixa único do Estado. A confirmação do uso de 100% da verba foi anunciada há dez dias pelo governador Eduardo Leite.

Machado lembra que atualmente o Irga trabalha na elaboração de um plano reestruturação jurídico-institucional, em conjunto com o governo gaúcho e entidades do setor. “Tem de modernizar os nossos processos, para tornar a gestão mais eficiente e (garantir) a aplicabilidade dos recursos. Precisamos dar um reconhecimento para os nossos servidores, então a partir da CDO temos um orçamento para contemplar isso e também um plano de negócios”, explica.

Para o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Alexandre Velho, a receita da CDO poderia atender a diversas necessidades do setor, como investimentos em pesquisa, novas cultivares e uma campanha nacional de incentivo ao consumo de arroz. “Mas o repasse desses recursos é só uma garantia de que vai haver orçamento. Um dos pleitos da Federarroz é que, na sua reestruturação, o Irga tenha uma maior autonomia administrativa, para decidir onde vai aplicar os recursos”, observa.

Entre os servidores da autarquia, a expectativa é que a reversão integral da taxa para o Irga possibilite o realinhamento salarial da categoria e reforços no quadro de profissionais. Segundo o presidente do Sindicato dos Servidores do Irga (Sindsirga), Michel Kelbert, os valores não são corrigidos desde 2014, e o último concurso público da instituição foi realizado em 2016. Hoje, o salário de um assistente administrativo do Irga é de R$ 1,2 mil, um técnico orizícola ganha R$ 1,8 mil, e técnicos de nível superior recebem R$ 4,3 mil.


publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895