Rio Grande do Sul fica a um passo do novo status sanitário

Rio Grande do Sul fica a um passo do novo status sanitário

Depois de auditoria, Ministério da Agricultura define na semana que vem se reconhece o RS como zona livre da aftosa sem vacinação

Correio do Povo

Até o momento, no Brasil, apenas os estados de Santa Catarina e Paraná conquistaram o status sanitário de zona livre de aftosa sem vacinação

publicidade

O Rio Grande do Sul está mais próximo de conquistar o status sanitário de zona livre de febre aftosa sem vacinação. Depois de dois dias de análise documental, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) deixou uma sinalização positiva, ontem, para as providências tomadas pela Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) para cumprir as 18 exigências feitas na auditoria anterior no sistema de inspeção animal gaúcho, ocorrida em setembro do ano passado. De acordo com a superintendência regional do Mapa, o Estado cumpriu 77% das metas estabelecidas, faltando apenas encerrar treinamentos que estão em curso.

A expectativa é de que o relatório final do processo de mudança de status seja anunciado no próximo dia 12. No dia seguinte deve ser publicada portaria do Mapa reconhecendo o Estado como zona livre de aftosa sem vacinação. Na sequência (dia 14) está previsto o envio da documentação à Organização Mundial de Saúde Animal, que poderá emitir o certificado do novo status em maio de 2021.

OTIMISMO - O secretário da Agricultura, Covatti Filho, se mostrou satisfeito com a sinalização do Mapa ao esforço da Seapdr. “Estamos bastante otimistas”, comentou. As etapas necessárias à retirada da vacinação contra a febre aftosa no Estado vêm sendo cumpridas desde 2019. Em abril deste ano, após a última campanha de imunização do rebanho, a vacinação foi suspensa.


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895