A batalha pela quebra de patente de vacinas contra a Covid-19 e seus efeitos para além da pandemia

A batalha pela quebra de patente de vacinas contra a Covid-19 e seus efeitos para além da pandemia

O governo dos EUA mudou de posição e decidiu apoiar a suspensão temporária dos direitos de propriedade intelectual dos imunizantes

Correio do Povo

Funcionários colocam vacinas Pfizer-BioNtech COVID-19 em um freezer na fábrica da Pfizer em Puurs, Bélgica, em 22 de fevereiro

publicidade

Em um esforço para eliminar a disparidade da vacina Covid-19 entre os países ricos e o mundo em desenvolvimento, a administração dos Estados Unidos anunciou que apoia a renúncia à proteção de propriedade intelectual para imunizantes contra o coronavírus. A representante de Comércio, Katherine Tai, disse que o país apoiaria uma proposta que tramita por meio da Organização Mundial do Comércio. Os países que estão sofrendo uma explosão de novos casos - incluindo Índia e África do Sul – pressionaram pela renúncia.

As empresas farmacêuticas, no entanto, se opõem, dizendo que a renúncia não fornecerá os resultados de curto prazo que os proponentes acham que fornecerá, em parte devido ao desafio de estabelecer novas instalações de produção complexas para fabricar as vacinas. Neste episódio, o Direto Ao Ponto recebe Fábio Morosini – doutor em direito internacional e professor do Programa de Pós-Graduação em Direito e de Estudos Estratégicos Internacionais da UFRGS – para discutir o tema. 

Ouça:

 


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895