Por que a baixa cobertura vacinal contra febre amarela preocupa vigilância do RS

Por que a baixa cobertura vacinal contra febre amarela preocupa vigilância do RS

Dados recentes apontam que 390 das 497 cidades gaúchas têm menos de 50% de cobertura vacinal

Correio do Povo

Febre amarela já matou 38 pessoas no Rio de Janeiro em 2018

publicidade

Mais de 80% dos municípios do Rio Grande do Sul têm hoje infestação do Aedes aegypti, além de dez óbitos por dengue e uma baixa e média cobertura vacinal contra febre amarela em 390 cidades gaúchas. A Vigilância Sanitária do Estado, que declarou emergência em abril devido à alta circulação do vírus da febre amarela, trabalha ações para intensificar a vacinação contra a doença, principalmente nas regiões Sudoeste, Centro-Oeste e de fronteira com a Argentina.

O Direto ao Ponto recebe, nesta quarta-feira, Tani Ranieri, chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, para falar da vacinação contra a febre amarela o situação das regiões com potencial de contaminação no RS. 

Veja Também

Ouça:


publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895