capa

Atraso de salário provoca protesto de funcionários do Hospital de Tramandaí

População recebeu materiais informativos e ouviu os manifestantes sobre a situação

Por
Chico Izidro

Protesto não afetou atendimento no hospital nesta sexta-feira

publicidade

Os trabalhadores do Hospital de Tramandaí realizaram nesta sexta-feira um protesto em frente a instituição para reclamar dos atrasos salariais que vêm sofrendo. “Estamos fazendo um ato de mobilização dos trabalhadores, devido aos atrasos de salários que vêm ocorrendo nos últimos anos. Até o momento, por exemplo, ainda não ocorreu o pagamento da 2ª parcela do 13º de 2018”, disse o secretário-geral do Sindisaúde-RS, Júlio Jesien.

A população recebeu materiais informativos e ouviu os manifestantes sobre a situação. Jesien informou que um novo protesto já está marcado para a próxima sexta-feira, dia 8 de fevereiro. “Entendemos que o problema financeiro decorre do governo estadual ter herdado uma dívida muito grande da gestão anterior. Entretanto, os trabalhadores não podem ficar nesta irregularidade. Não tem como trabalhar sem receber”, destacou o dirigente.

“E fazendo um cálculo rápido, o salário dos funcionários já teve uma perda de cerca de 30% do poder de compra em quatro anos, por causa da falta de reajustes e reposições salariais”, destacou. “Por isso, o ato de hoje se propõe a chamar a atenção da situação”, continuou. “A não ser que a situação seja resolvida na próxima semana, um novo protesto já está programado para o dia 8”, seguiu.

Jesien informou que na segunda-feira haverá uma reunião do Conselho dos Municípios. “Pretendemos durante este encontro verificar como está a questão participativa do município em relação ao hospital. E na próxima quinta-feira, dia 7, ocorrerá uma mediação no Tribunal Regional do Trabalho, onde pretendemos mostrar melhor como esta a questão”, ressaltou.

O dirigente sindical destacou que foi muito boa a participação dos trabalhadores do hospital no dia de protesto. “Tivemos entre 30 e 40 funcionários atuando no nosso ato. E veja bem, a ideia não é de uma greve, pois sabemos que isso afetaria ainda mais os problemas no local. Nossa ideia foi sempre de mostrar para a sociedade a nossa insatisfação”, afirmou.
“Até o horário final do protesto foi bem planejado, por que haverá um evento musical em Atlântida hoje à noite. E a partir das 17h, os funcionários do hospital vão ficar de prontidão no caso de ocorrer algum problema neste evento”, contou.

Jesien finalizou lembrando que muitos populares passaram em frente ao hospital e pararam para conversar com os manifestantes. “E eles reconheceram nosso movimento como justo, pois afinal ninguém vive e trabalha sem dinheiro. E até porque não estamos deixando de atender ninguém que necessite”, concluiu.