Orla de Imbé tem respeito ao distanciamento social, mas poucas máscaras

Orla de Imbé tem respeito ao distanciamento social, mas poucas máscaras

Movimento na praia aumentou nesta quinta-feira

Chico Izidro

Orla de Imbé tem respeito ao distanciamento social, mas poucas máscaras

publicidade

Nesta quinta-feira, véspera de Natal, o Balneário Imbé começou a ser invadido pelos veranistas. O trânsito começou a ficar mais lento, com muitos carros nas pistas. Na beira da praia, o movimento em relação aos outros dias da semana aumentou. Mesmo assim, os banhistas mantinham o distanciamento social entre seus guarda-sóis e os dos vizinhos ao lado. Porém, entre as cerca de cem pessoas que se encontravam no local para curtir o mar, apenas uma moça estava usando máscara, respeitando a determinação dos guarda-vidas.

As águas de Imbé estavam agitadas devido ao forte vento, mas limpas e mornas. As fortes ondas propiciaram ainda que alguns esportistas praticassem o kitesurf - um esporte aquático que utiliza uma pipa ou papagaio e uma prancha com suporte para os pés, sendo o objetivo, voar e deslizar sobre a água, puxado pela pipa. É uma mistura de windsurf, surfe e wakeboard. A temperatura chegou aos 24 graus e o sol muito forte, com o céu praticamente sem nuvens.

“Estou torcendo para que este Natal seja muito bom, depois deste ano terrível que tivemos”, afirmou Humberto Martins, morador de Novo Hamburgo, e que chegou no Balneário Imbé na noite de quarta-feira, com a família. Eles pretendem ficar até domingo. “Decidimos dar esta escapada, pois já estávamos ficando tensos em casa, depois de meses de quarentena”, contou. Humberto estava sem máscara, e disse que não via problema nenhum em estar sem a indumentária na beira do mar. “Mas no dia a dia, uso direto. Agora quero respirar um pouco”, completou.


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895