capa

Fisioterapia para as mamães: a coluna também requer cuidados na gravidez

Fisioterapeuta Cleiton Beck dá dicas, tanto para o momento da gestação, quanto após a chegada do bebê

Por
Correio do Povo

Antes mesmo do início da gestação é necessário se preparar, afirma especialista

publicidade

Que o corpo da mulher  muda com a gravidez, todo mundo sabe. Mas muito além do crescimento da barriga, inchaço e enjoos, toda a estrutura física precisa se adaptar - e isso inclui coluna e membros, por exemplo. Por isso, antes mesmo do início da gestação é necessário se preparar.  É o que orienta o fisioterapeuta Cleiton Beck, que trabalha com a fisioterapia baseada em evidências, usando das mais modernas técnicas no segmento com excelência. Ele dá dicas tanto para a gravidez, como para a reabilitação à forma normal e mudança de rotina  após o nascimento do filho.

Beck lembra que o melhor é sempre apostar na fisioterapia preventiva, a fim de evitar problemas. Ainda mais em um momento tão especial como a gravidez. “Desde os primeiros meses de gestação o corpo da mulher já dá início a uma grande transformação. E não só o ventre, mas as articulações  e músculos da cintura pélvica, que corresponde à bacia e quadril, e coluna vão sofrendo alterações fisiológicas, que nada mais são do que adaptações para o crescimento dessa região”, explica o profissional. 

Segundo o fisioterapeta, entre as possíveis consequências no corpo estão a lombocitalgia, que corresponde à dor pela compressão das raízes nervosas na região lombar, podendo evoluir para a dor em queimação do nervo ciático; e a talalgia e a fascite plantar, as famosas dores no calcanhar e pés. “O corpo é um só e ele se comunica. E com o tempo vai se sentindo o resultado de tudo isso”, ressalta.

É aí que a fisioterapia  entra como grande aliada nas diferentes fases da gravidez, pois ajuda no alívio de tensões musculares excessivas, com técnicas especiais e relaxamento muscular, além da manutenção da postura e alinhamento corporal por meio, por exemplo, da quiropraxia instrumental.  “O fisioterapeuta possui um arsenal de técnicas e condutas que possibilitam à gestante alívio das dores musculares e melhorias na postura”, diz. 

Contudo, lembre-se: é de extrema importância procurar um profissional de confiança que oriente a atividade adequada para cada caso.


Após o parto 
 Mas os cuidados com o corpo não podem parar após o nascimento do baby. Conforme Beck, nessa fase, a dor costuma se “transferir” para a parte de cima, já que as mães começam a carregar os filhos no colo. Lembra da importância de fortalecer coluna e membros?
 Aí está! “Imagine a situação: uma mãe que já não costuma fazer atividade física começa a carregar o bebê todos os dias. Surgem as dores nos braços, ombros, pescoço. Isso sem falar na dor por conta da posição de amamentar”, ressalta. 

Para quem é adepta do  sedentarismo, um alerta: essas dores podem até mesmo resultar em contraturas musculares e tendinites severas, problemas que geralmente requerem intervenções mais agressivas por parte do fisioterapeuta. Mais uma vez, a prevenção é o melhor caminho. “Quer engravidar?  Então é hora de começar a fazer atividades, criar resistência e trabalhar braços e costas. Buscar pequenas coisas desde cedo”, reiterta o profissional.


Prevenção é o caminho

Um bebê está nos planos?
 O fisioteraputa Cleiton Beck dá dicas para as mamães se manterem em movimento com qualidade:

1. Grávidas que já praticavam
 alguma atividade física antes da gestação, na maioria dos casos, não precisam abandoná-la, salvo quando há solicitação médica para o repouso;

2. Já as adeptas do “sedentarismo”
 podem, nos meses de gestação, tentar atividades mais leves como, por exemplo, alongamento e hidroginástica, exercícios físicos de baixo impacto para tonificar os músculos e melhorar o condicionamento físico;

3. Atenção na hora do
 sono. O melhor é acostumar o corpo desde o início da gestação a dormir de lado, melhor posição de repouso para a coluna;

4. Esta não é apenas
 para os meses de gestação, mas para criar um hábito para a vida: cuide a postura na hora de sentar. Sua coluna agradece! :)

5. Vai alongar? Não é
 porque se trata de uma atividade “simples”, que não precisa de orientação. Beck indica sempre procurar profissionais especializados, como um fisioterapeuta ou educador físico;

6. Está se movimentando?
 Ótimo! Mas à medida em que a barriga vai crescendo, a dica de Beck é ir diminuindo o ritmo aos poucos;

7. Muitas mamães ignoram
 esse alerta, mas após o parto, é de extrema importância que o corpo se reabilite à forma normal depois da gravidez. Procurar um fisioterapeuta pode ajudar nessa  fase.


Sobre o fisioterapeuta  Cleiton Beck

Cleiton Beck trabalha  o conceito de Fisioterapia com excelência e baseada em evidências, utilizando técnicas modernas, sempre desenvolvidas com embasamento científico, diferenciando-se da fisioterapia “tradicional”. Ele também atua há 11 anos na UTI do Hospital São José da Santa Casa, em Porto Alegre.

Entre os serviços da  clínica de Beck, está a reabilitação vestibular, tratamento para a chamada vertigem posicional paroxística benigna (VPPB), que desencadeia vertigem, tontura e muitas vezes, confunde-se com a labirintite. Ainda trabalha com a terapia por ondas de choque, utilizada para o tratamento de dores ósseo-musculares crônicas; a termografia, a partir de um equipamento que capta luz infravermelha e possibilita identificar lesões no início ou sobrecarga muscular; o Méthode François Soulier de Quiropraxia Instrumental para ajustes articulares; e o Dry Needling, ou agulhamento a seco, que consiste na terapia manual intramuscular para pontos de dor.