capa

Dor lombar pode aumentar com o avanço da idade

A dor na região lombar pode limitar muitas atividades e reduzir a qualidade de vida.

Por
Amrigs

publicidade

A dor lombar é sintomatologia muito comum, sendo mais frequente na medida em que as pessoas envelhecem, afetando mais da metade das pessoas acima de 60 anos. É um dos motivos mais comuns para consultas médicas. A coluna vertebral inferior (lombar) conecta o tórax à pelve (bacia), fornecendo a mobilidade para virar, girar e curvar. Também proporciona força para ficar parado, andar e levantar. Portanto, a região lombar está envolvida em quase todas as atividades rotineiras. A dor na região lombar pode limitar muitas atividades e reduzir a qualidade de vida. A coluna vertebral consiste de vértebras que são separadas por estruturas denominadas discos intervertebrais, feitos de material gelatinoso, que tem a função de absorver impactos e possibilitar o movimento do tronco, além de ligamentos e músculos que ajudam na estabilização da coluna vertebral. A medula espinhal está contida no arcabouço formado pelas vértebras, sendo constituída de nervos que se irradiam por todo o corpo. A raiz nervosa espinhal pode ser comprimida quando a coluna vertebral estiver lesionada, causando a dor.

A dor pode ser local quando ocorre em uma região específica da região lombar. É o tipo mais comum de dor nas costas. A causa é geralmente a distensão muscular ou entorse. A dor pode ser constante e latejante, porém, algumas vezes, intermitente e aguda. A dor pode ser agravada ou aliviada pelas mudanças de posição. A dor irradiada geralmente é intensa e em queimação e percorre desde a região lombar até a perna. Pode ser acompanhada por uma dor aguda e intensa, envolvendo apenas um lado ou a parte de trás da perna. A dor pode percorrer todo o caminho até o pé ou só até o joelho. Geralmente indica a compressão de uma raiz nervosa causada por doenças como uma hérnia de disco ou estenose da coluna vertebral. Tossir, espirrar, se esforçar ou se curvar enquanto as pernas estão retas pode desencadear a dor. Se a pressão na raiz nervosa for grande, ou se a medula espinhal também estiver comprimida, a dor pode ser acompanhada por fraqueza muscular na(s) perna(s), sensação de agulhadas, perda de sensibilidade e perda de controle da bexiga e/ou do intestino.

Causas
Com frequência, não há uma única causa específica que possa ser identificada para a dor lombar. Fatores como a fadiga, obesidade e falta de exercícios físico podem piorar a dor nas costas. Além disso, qualquer distúrbio doloroso na coluna vertebral pode causar o reflexo de contração dos músculos em sua volta, o que pode piorar a dor
lombar. O estresse emocional pode piorar a dor na região lombar, mas como isso acontece é incerto.  Ocasionalmente, a dor nas costas pode ocorrer devido a distúrbios fora da coluna vertebral, como aqueles relacionados aos rins, trato urinário, trato digestivo e vasos sanguíneos. O estresse muscular e lesões de ligamentos podem ser resultado de levantamento de peso de forma inadequada, exercício físicos ou movimento de forma inesperada e incorreta. A região lombar está mais propensa a lesões quando o condicionamento físico
é precário e os músculos estão fracos. Ter uma má postura, estar acima do peso e estar cansado também contribuem para o surgimento de lesões. Outras causas frequentes da dor na região lombar incluem a osteoartrose
(desgaste da coluna), fraturas das vértebras e fibromialgia. Causas menos comuns incluem infecções e tumores da coluna vertebral, aneurisma da aorta abdominal, úlcera péptica perfurada, diverticulite do intestino, pancreatite, infecções e pedras nos rins, infecções na próstata, gravidez ectópica, doença inflamatória pélvica e câncer dos
ovários ou outros órgãos reprodutivos;

Sinais de alerta
Pessoas com histórico de câncer, dor por mais de 6 semanas, febre, perda de peso, dor intensa durante a noite e/ou sintomas que sugerem lesão nervosa – formigamento, fraqueza em uma ou ambas as pernas, dificuldade em esvaziar a bexiga, perda de controle da urina ou das fezes, devem procurar um médico imediatamente, pois
o risco de se tratar de um problema mais grave é maior.

Prevenção
A forma mais efetiva de prevenir a dor na região lombar é exercitar-se regularmente. O exercício aeróbico, fortalecimento específico dos músculos e exercícios de alongamento podem ajudar. Não menos importante é cessar o tabagismo, uma vez que este é fator de risco importante para o desenvolvimento da câncer e acelera o
desgaste da coluna vertebral. Exercícios específicos para fortalecer e alongar os músculos do abdômen,
nádegas e costas (músculos centrais) podem ajudar a estabilizar a coluna vertebral e diminuir o estresse nos discos e ligamentos que protegem a coluna vertebral.

Manter uma boa postura ao ficar em pé e ao sentar reduz o estresse das costas.Os assentos de cadeira podem ser ajustados para ficar em uma altura que permita que os pés fiquem retos no chão, com os joelhos dobrados levemente e a região lombar ereta no encosto da cadeira. Se a cadeira não oferece suporte para a região lombar, pode ser utilizado um travesseiro. É aconselhado sentar com os pés no chão ao invés de cruzar as pernas. As pessoas devem evitar ficar em pé ou sentadas por longos períodos. Se ficar em pé ou sentado por longos períodos for inevitável, mudar de posição frequentemente pode reduzir a sobrecarga nas costas.

Tratamento
Para dor na região lombar que se desenvolveu recentemente, o tratamento começa ao evitar atividades que sobrecarregam a coluna vertebral e causam dor – como levantar objetos pesados e se curvar. O repouso não acelera a melhora da dor. O repouso só necessário para aliviar dor intensa e não deve durar mais de 1 ou 2 dias. Repousos
mais duradouros enfraquecem os músculos centrais e aumentam a rigidez, piorando assim a dor e retardando a recuperação. Cintas para coluna vertebral e tração não ajudam e podem retardar a recuperação. Após a diminuição da dor, atividade moderada pode acelerar o processo de recuperação e cura. Exercícios específicos para fortalecer e alongar as costas e os músculos centrais são, geralmente, recomendados para auxiliar a prevenir a dor na
região lombar de se tornar algo crônico ou recorrente.

Tratamento da dor crônica
Além de medicamentos, na dependência da causa, o médico, após avaliação criteriosa do paciente e de acordo com cada doença poderá contar também com a utilização de bloqueios facetários, cirurgia para hérnias de disco e artrodeses da coluna.

Vanderson Rodrigo Araújo
Neurocirurgião do Instituto de Neurocirurgia e Cirurgia de Coluna – INCC
Passo Fundo/RS