Porto Alegre, quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

  • 07/01/2014
  • 09:35
  • Atualização: 09:50

Atrasos permitidos no vestibular da Ufrgs podem gerar ações judiciais

Segundo advogado, candidatos poderão ingressar com pedido de cancelamento das provas

  • Comentários
  • Dico Reis / Rádio Guaíba

A tolerância concedida pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) a alguns candidatos que chegaram atrasados aos locais de prova do vestibular 2014 gerou polêmica entre os vestibulandos e, segundo o advogado Manuel Pedro Castanheira, pode gerar ações judiciais para cancelamento do exame.

No domingo, primeiro dia do vestibular, um acidente de trânsito adiou em 15 minutos a realização das provas no Campus do Vale da Ufrgs e na Faculdade Porto-Alegrense (Fapa). Nessa segunda-feira, houve um novo adiamento, dessa vez de 20 minutos, por conta de congestionamentos no trânsito nas mesmas localidades.

Castanheira afirma que o candidato que se sentir prejudicado pela tolerância concedida aos retardatários pode entrar com uma ação de cancelamento do exame, já que, segundo ele, foi ferido o princípio da equidade entre os concorrentes. O advogado se baseia no próprio Manual do Candidato da Ufrgs. No item cinco da página 23 consta o seguinte texto: "Os candidatos deverão comparecer aos respectivos locais de provas às 8h, munidos do documento de identidade que originou sua inscrição, caneta esferográfica azul ou preta, lápis e borracha. Em hipótese alguma serão admitidos retardatários."

O advogado ressalta, ainda, que os candidatos que chegaram no horário marcado podem ter sofrido pressão psicológica pela espera. A Assessoria de Imprensa da Ufrgs informa, no entanto, que a tolerância nos dois primeiros dias de prova foi concedida para que os estudantes não fossem prejudicados pelos acontecimentos alheios à organização do vestibular.

Bookmark and Share


TAGS » Vestibular, Ensino, Ufrgs