Porto Alegre, quarta-feira, 26 de Novembro de 2014

  • 17/01/2014
  • 16:36
  • Atualização: 16:40

Com adutora nova, Corsan garante aumentar produção de água em Gravataí

Serão beneficiados moradores das zonas Sul e Leste da cidade

  • Comentários
  • Camila Kila/Rádio Guaíba

Dentro das obras previstas para melhorar a distribuição de água em Gravataí, mais uma adutora de água bruta deve ser inaugurada na segunda-feira. O sistema vai levar a água captada junto ao rio Gravataí até a Estação de Tratamento de Água (ETA) no bairro Passo dos Negros. As redes serão adequadas para que a adutora comece a funcionar, o que, segundo a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan), não vai exigir a suspensão do abastecimento.

Serão beneficiados consumidores residentes em diversos bairros das zonas Sul e Leste, entre as paradas 107 e 72. Com mais essa adutora, a produção de água no município cresce 200 litros por segundo, passando de 445 l/s para 645 litros por segundo. A Corsan destaca que o incremento chega a 75% em relação a dezembro, quando houve problemas no abastecimento no município.

• Corsan apresentará ações sobre falta de água em Gravataí na próxima segunda
• MP deve processar Corsan e prefeitura de Gravataí por problemas de falta de água
• MP dá mais 15 dias para Corsan examinar TAC sobre falta d'água em Gravataí
• Corsan estima alta de 30% na produção de água em Gravataí

A implantação de mais uma adutora de água tratada segue em andamento e a expectativa da companhia é de que seja concluída no fim de janeiro. A obra vai beneficiar o Complexo Industrial Automotivo General Motors (Ciag) e mais 5 mil economias de bairros próximos.

Até março, deve ser finalizada a instalação de equipamentos eletromecânicos na captação, fazendo com que a produção de água atinga 700 litros por segundo em Gravataí, o que representa um crescimento de 90% em relação ao mês passado.

No final do ano, cerca de 90 mil consumidores foram afetados pela falta de água durante vários dias no município. A Corsan atribuiu os cortes ao excesso de consumo, devido ao calor elevado, e ao rompimento de uma adutora.

O Ministério Público propôs um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para definir melhorias ao serviço prestado, mas a Corsan se mostrou contrária à assinatura. Com isso, o MP deve acionar a concessionária e a prefeitura na Justiça.

Bookmark and Share