Correio do Povo

Porto Alegre, 30 de Agosto de 2014


Porto Alegre
Agora
17ºC
Amanhã
14º 25º


Faça sua Busca


Notícias > Internacional

ImprimirImprimir EnviarEnviar por e-mail Fale com a redaçãoFale com a redação Letra Diminuir letra Aumentar Letra

03/03/2014 16:40 - Atualizado em 03/03/2014 17:16

Sítio arqueológico de Pompeia está ameaçado

Desmoronamentos ocorrem há três anos e provocam polêmica com a falta de manutenção

Desmoronamentos ocorrem há três anos e provocam polêmica com a falta de manutenção<br /><b>Crédito: </b> Roberta Basile / AFP / CP
Desmoronamentos ocorrem há três anos e provocam polêmica com a falta de manutenção
Crédito: Roberta Basile / AFP / CP
Desmoronamentos ocorrem há três anos e provocam polêmica com a falta de manutenção
Crédito: Roberta Basile / AFP / CP

Vários pedaços do Templo de Vênus, em Pompeia, na Itália, assim como fragmentos de uma tumba do conjunto de ruínas romanas caíram na última semana, informaram fontes oficiais nesta segunda-feira. Os funcionários do imenso sítio arqueológico, que desde 1997 faz parte do Patrimônio Mundial da Humanidade da Unesco, encontraram pedaços de uma parede de dois metros de altura que acabou de ser restaurada, assim como fragmentos de outro local que, devido ao peso, desmoronaram.

No domingo, uma parte do arco do Templo de Vênus e da muralha que cerca a necrópole da cidade antiga também desmoronaram. Há três anos desmoronamentos semelhantes vêm sendo registrados no sítio, provocando uma polêmica com o governo por causa da falta de manutenção de um dos maiores tesouros da região de Nápoles. As zonas afetadas pelo desabamento foram fechadas ao público. O novo ministro da Cultura italiano, Dario Franceschini, convocou uma reunião extraordinária essa semana para avaliar a situação atual do conjunto arqueológico. A União Europeia liberou um pacote de investimentos para a restauração de Pompeia.

Situada nas proximidades de Nápoles, Pompeia foi destruída pela violenta explosão do vulcão Vesúvio em 24 de agosto do ano 79. Seu descobrimento, em 1738, permitiu traçar um quadro exato da vida romana durante o século I. Isto porque a cidade foi petrificada pelas lavas do vulcão. "Ninguém cuida de Pompeia", lamentou Antonio Irlando, do Observatório para o Patrimônio Cultural, que chamou de dramática a situação do sítio. Em 2010, a Casa dos Gladiadores - uma das construções mais conhecidas de Pompeia - desabou. Na época, as autoridades justificaram o desabamento pelas fortes chuvas e uma restauração feita anteriormente.

Bookmark and Share


Fonte: AFP






O que você deseja fazer?

Busca

EDIÇÕES ANTERIORES

Acervo de 09 de Junho de 1997 a 30 de Setembro de 2012. Para visualizar edições a partir de 1 de Outubro de 2012, acesse a Versão Digital do Correio do Povo. No menu, acesse “Opções” e clique em “Edições Anteriores”.