Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 16/04/2014
  • 18:52

Funcionária que vendeu remédio errado para menina pode ser indiciada por homicídio

Jovem de 14 anos morreu depois de inalar medicamento para combater glaucoma, em vez de asma

  • Comentários
  • Lucas Rivas / Rádio Guaíba

A funcionária de uma farmácia que errou ao vender um medicamento e provocou a morte de uma adolescente de 14 anos, em Guaíba, deve ser indiciada por homicídio culposo (quando não há intenção de matar). A tese ganha força antes mesmo de a investigação ter ouvido a vendedora, que deve depor entre quarta e quinta-feira na Delegacia de Guaíba.

Além do indiciamento, o inspetor Leonardo Gardel revela que a Polícia pretende esclarecer se a funcionária agiu de forma correta ao repassar o medicamento, com receita, à irmã menor da vítima, de 11 anos. A confirmação do indiciamento ainda depende de laudos da perícia que possam comprovar que a causa da morte foi edema agudo pulmonar. O tempo de experiência da funcionária também é desconhecido.

Andriza Oliveira da Silva morreu na noite de segunda-feira depois de ter inalado o medicamento errado durante uma sessão de nebulização. A adolescente usou um remédio genérico para glaucoma. Na receita, o remédio indicado era para crise de asma.

O Conselho Regional de Farmácia (CRF-RS) já adiantou que pretende abrir um processo ético para apurar paralelamente o caso. Apesar de estar trabalhando no local, no ato da venda, a farmacêutica responsável não foi consultada, disse o presidente do CRF, Roberto Canquerine. A farmácia está regularizada para operar.

Bookmark and Share


TAGS » Polícia, Guaíba, Morte