Porto Alegre, sexta-feira, 31 de Outubro de 2014

  • 23/05/2014
  • 10:37
  • Atualização: 14:53

Arquivos foram queimados, lamenta conselheira tutelar

Prédio do órgão em Alvorada foi atingido por suposto artefato explosivo

Prédio do órgão em Alvorada foi atingido por suposto artefato explosivo | Foto: André Ávila

Prédio do órgão em Alvorada foi atingido por suposto artefato explosivo | Foto: André Ávila

  • Comentários
  • Correio do Povo

Arquivos de uma sala do Conselho Tutelar de Alvorada, na região Metropolitana, foram atingidos em incêndio criminoso no prédio do órgão na madrugada desta sexta-feira. A conselheira tutelar, Lucimara da Silva Pereira, foi a primeira pessoa a ser acionada depois da explosão e lamentou que documentos de casos em andamentos tenham sido perdidos.

Lucimara foi informada por volta das 3h30min. O conselheiro tutelar, André Letz, estava no local na hora do incêndio. Ele passou mal por conta da inalação da fumaça e foi encaminhado ao hospital mais próximo.

Lucimara ainda reclamou da falta de segurança. Segundo ela, a Guarda Municipal não é responsável pelo local, o que deixa o “conselho a mercê da população”. Em alguns casos, a retirada de crianças da guarda da família, pode gerar raiva nos pais, justificou.

O Conselho Tutelar funciona 24 horas, mas o prédio foi interditado depois do ocorrido. De acordo com a conselheira, por conta do aumento da população de Alvorada, já era para a cidade disponibilizar um segundo conselho na cidade, no entanto, há apenas um.

Incêndios em Porto Alegre e Eldorado do Sul

Em dois dias, este é o terceiro caso de ataque com artefato explosivo. Nessa quinta-feira, dois crimes ocorreram em sequência em Porto Alegre e em Eldorado do Sul. Na Capital, o prédio da Justiça Militar foi alvo de um coquetel molotov, que causo incêndio por volta da meia-noite. De acordo com testemunhas, o artefato partiu de um carro de cor branca.

Cinquenta minutos depois, a casa do prefeito Sérgio Munhoz, em Eldorado do Sul, também foi atingida por um artefato explosivo. Conforme a Polícia Civil, portas, janelas e telhado da residência, localizada no bairro Sans Souci, foram danificados. Munhoz e a família, que estavam na casa no momento do ataque, saíram ilesos.

Bookmark and Share