Após ser diagnosticado com coronavírus, Jorge Drexler diz que está recuperado
capa

Após ser diagnosticado com coronavírus, Jorge Drexler diz que está recuperado

Artista uruguaio revelou que teve os sintomas leves da doença

Por
Marcos Santuario

Jorge Drexler em show virtual, no início da pandemia

publicidade

Ele foi um dos primeiros artistas, no mundo, a cancelar a presença de público em um espetáculo para não facilitar a propagação do novo coronavírus. Músico e médico, Jorge Drexler fez virtualmente o show agendado para ocorrer em San José, capital da Costa Rica, no dia 10 de março. 

Disponível no YouTube, o show que acabou sendo realizado no mesmo palco do Teatro Américo Salazar, mas com poltronas vazias, abriria caminho para as mais variadas apresentações virtuais espalhadas pelo mundo. Antes de subir ao palco, Jorge escreveu uma canção, inspirada no momento, “Codo con Codo”. 

Depois da apresentação voltou a Madri e acompanhou a situação de familiares, e dele mesmo, todos acometidos pela Covid-19. Com sintomas leves e passando bem, deu entrevista no último final de semana a um veículo de comunicação espanhol e contou um pouco do que sentiu e o que passou de lá para cá. 

“Quando cheguei na Espanha, depois da Costa Rica, encontrei já decretadas medidas especiais e nos demos conta de que tínhamos que ficar aqui. Tive que providenciar a chegada do meu filho de Londres, onde estuda.", comentou o artista uruguaio. “Passei dias estranhos, com muito medo, mesmo tendo sintomas leves da doença”, reconheceu, complementando que ficou duas semanas sem pegar no violão. 

Para ele, com essa situação mundial, os cidadãos estão se dando conta de quais são as coisas mais importantes e quais são as bases da sociedade: a importância "que adquire o contato pessoal e de ter uma estrutura no país, uma saúde e uma educação públicas". 

Deixou também uma mensagem tranquilizadora a todos os que estão infectados: "Grande parte dos que passamos por esta enfermidade não a sofremos com gravidade. Temos que manter a serenidade e deixar os hospitais livres para as pessoas que realmente necessitam", conclamou.