Cacilda Becker é homenageada no Palco Virtual

Cacilda Becker é homenageada no Palco Virtual

Projeto do Itaú Cultural apresenta leitura e espetáculo sobre a atriz

Correio do Povo

Leona Cavali é uma das autoras e protagolnista de "Cacilda...Por Ela Mesma!", que faz recorte da vida e carreira da artista, a partir de entrevistas, depoimentos e espetáculos que Cacilda Becker participou.

publicidade

Nas celebrações do centenário de nascimento de Cacilda Becker (1921-1969), o Palco Virtual homenageia a grande dama do teatro brasileiro. O diretor Eduardo Figueiredo mostra hoje “Cacilda... Por Ela Mesma!”  e amanhã será a vez do Coletivo Takamakina de Teatro, com “Viva Cacilda! Felicidade Guerreira”, composto por resgates e flashes de sua visão feminina na política. Sessões gratuitas, às 19h, pelo Zoom, seguidas de bate-papo e ingressos via www.itaucultural.org.br.
 
Leona Cavali assina atuação e texto, com Erikah Barbin, da leitura “Cacilda...”, em que faz um recorte da vida e carreira da artista, a partir de trechos das entrevistas que compuseram o livro “Uma Atriz, Cacilda Becker”, assinado por Maria Teresa Vargas e Nanci Fernandes. Após o sucesso do espetáculo “Cacilda!”, no fim dos anos 1990, Leona leva à cena depoimentos do livro, adaptados para a leitura. Para dar vida a personagens importantes de Cacilda, o trabalho conta com a participação de Maurício Machado e Marco Antônio Ferraz. A atriz traz ainda traz referências de peças como “Pega Fogo” e “Anjo de Pedra”, ambas de 1950, com a homenageada no elenco. 

Amanhã, “Viva Cacilda!...” é o monólogo com Isabella Lemos, roteirizado e dirigido por Lenise Pinheiro, tendo como base o texto de Zé Celso Martinez Corrêa para a peça “Cacilda!” (1998). Tendo como pano de fundo fotos de acervo de Lenise e capturadas no início dos anos 1990 no apartamento então desocupado na Avenida Paulista onde viveram Cacilda, Walmor Chagas, seus filhos e o cachorro Fió, é estabelecida uma relação com o espectador. A narrativa é entrecortada por áudios gravados pelo ator Marco Ricca, que, entre outros papeis, assume a voz do encenador Ziembinski, e de José Miguel Wisnik, autor da canção tema de abertura e encerramento. 


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895