Começa hoje festa do cinema no Tiff

Começa hoje festa do cinema no Tiff

A 45ª edição do Festival Internacional de Cinema de Toronto exibe 50 filmes para o mundo

Marcos Santuario

O documentário ‘American Utopia’, dirigido por Spike Lee, abre o evento nesta quinta-feira, no Canadá

publicidade

Com formato híbrido e sessões digitais, começa hoje a 45ª edição do Festival Internacional de Cinema de Toronto (Tiff), no Canadá, com a exibição de um documentário dirigido por Spike Lee sobre o músico David Byrne. “American Utopia” é baseado no disco homônimo que foi lançado pelo líder da banda setentista Talking Heads no ano de 2018, em espetáculo realizado na Broadway.

Até alguns meses atrás, o evento estava prestes a ser cancelado, por conta da pandemia do coronavírus. Mas, a edição 2020 do evento foi garantida em função de uma eficiente liderança do governo do Canadá e do estado de Ontário em relação à pandemia e à arrecadação de doações financeiras de membros do festival e de participantes das edições anteriores.

Em se tratando de programação, a forma com que os filmes serão exibidos também foi remodelada. Somente cinco exibições serão realizadas de forma presencial, em salas de cinema, e não haverá o famoso tapete laranja, na principal sede do evento, que serve como palco para receber celebridades anualmente. É que o estado de Ontário chegou à fase 3 de reabertura em meio à pandemia, possibilitando que alguns cinemas possam retomar atividades com medidas de segurança como o uso de máscaras, limpezas constantes e o distanciamento social.

A seleção de filmes que, normalmente, chega a 300 títulos entre blockbusters, produções independentes, documentários e filmes de terror em minifestival dentro do próprio Tiff, terá somente 50 produções em exibição. O Festival de Toronto, que é considerado um dos “termômetros” para o Oscar do ano seguinte, recentemente apresentou o vencedor de 2018, “Green Book: O Guia”, que levou três Oscars para casa incluindo o de Melhor Filme; em 2019, “Jojo Rabbit” ganhou em Toronto e também abocanhou o Oscar de Melhor Roteiro Adaptado para Taika Waititi em 2020, além de outras cinco indicações.

Do Brasil estará presente no Tiff o filme “Casa de Antiguidades”, primeiro longa do diretor paulista João Paulo Miranda Maria, com o ator Antonio Pitanga vivendo um homem que se sente distante e não se identifica com o lugar, as pessoas e até a sociedade onde vive.

Outros destaques desta edição incluem a estreia do ator Viggo Mortensen dirigindo “Falling”, no qual ele também assina o roteiro. Esperada ainda é a produção “One Night in Miami”, outra estreia na direção de uma atriz, Regina King (“Watchmen”); além da nova obra de Chloé Zhao, “Nomadland”. O filme de Zhao, que também assina a direção de “Os Eternos”, conta com Frances McDormand no elenco. “Shadow in the Cloud”, com Chlöe Grace Moretz; “True Mothers”, de Naomi Kawase; “Bruised”, a estreia da talentosa atriz Halle Berry como diretora; e o novo filme do realizador Werner Herzog e de Clive Oppenheimer, “Fireball: Visitors from Darker Worlds” são outras das produções a serem exibidas. Com estes e outros títulos, entrevistas e encontros virtuais, o 45º Tiff se consolida, da mesma forma que o Festival de Veneza, como evento internacional que se adapta aos momentos pandêmicos, sem deixar de cumprir seu papel no universo da cultura e da indústria criativa.


publicidade

publicidade

publicidade

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895