Dia da Consciência Negra com festival, homenagem, filme e mostra

Dia da Consciência Negra com festival, homenagem, filme e mostra

No Salão de Atos da Ufrgs será lançado o IV Festival Cinema Negro em Ação e na Cinemateca Capitólio será exibido o primeiro filme dirigido por um cineasta negro no RS

Correio do Povo

Cena de 'Um é Pouco, Dois é Bom', de Odilon Lopez, produzido em 1970 e rodado em Porto Alegre

publicidade

Entre as diversas ações realizadas em Porto Alegre, neste dia 20 de novembro, voltados ao Dia da Consciência Negra, está o lançamento do IV Festival Cinema Negro em Ação, às 15h, no Salão de Atos da Ufrgs (Paulo Gama, 110), que fará parte da programação do Novembro Negro, organizado pelo Núcleo de Estudos Africanos, Afro-brasileiros e Indígenas. O grande homenageado será o escritor e professor, Oliveira Silveira, o Poeta da Consciência Negra, a quem será concedido o título de Doutor Honoris Causa “In Memoriam”.

O Festival também apresenta a programação oficial da quarta edição, bem como as obras da Mostra Especial. Como o curta documental dirigido por Camila de Moraes : “Oliveira Silveira, O Poeta da Consciência Negra”, filme que conta com os atores Vera Lopes e Sirmar Antunes, e entrevistados como Naiara Oliveira, Sátira Machado, Jorge Fróes. No Centro Cultural da universidade pode ser conferida uma exposição sobre Oliveira Silveira.

O Festival Cinema Negro em Ação ocorrerá entre os dias 7 e 10 de dezembro, com mostra de videoclipes, videoarte, curtas-metragens e longas-metragens, no formato digital, de temática livre. O foco está em trabalhos produzidos por pessoas negras ou com protagonismo negro em várias áreas, como direção de arte, direção de fotografia, montagem, entre outras. O evento será aberto a produtores negros de todo o Brasil, reconhecendo o audiovisual como um meio para o desenvolvimento econômico e social.

Odilon Lopez

Na Cinemateca Capitólio (Demétrio Ribeiro, 1085) também hoje, às 20h, de forma gratuita, será realizada a última exibição da única cópia remanescente em película de “Um é Pouco, Dois é Bom”, de Odilon Lopez. Produzido em 1970 e rodado em Porto Alegre, o filme é o primeiro longa dirigido por um cineasta negro no Rio Grande do Sul.

Além da direção e produção de Odilon Lopez, o roteiro leva assinatura de Odilon e Luis Fernando Verissimo. No elenco estão Odilon, Araci Esteves, Francisco Silva, Amélia Bittencourt, Carlos Carvalho e Luis Carlos Magalhães. Em setembro deste ano, a obra foi digitalizada em 4K no laboratório da Link Digital, no Rio.

Este é um filme que trata pela primeira vez, e na visão de um diretor negro, a questão do racismo estrutural no Brasil. Até então, apenas cineastas brancos haviam abordado o tema, em especial os diretores ligados ao Cinema Novo, como Nelson Pereira dos Santos e Glauber Rocha. A cópia digitalizada do longa será projetada pela primeira vez no dia 29 de novembro, na Cinemateca do MAM, no Rio de Janeiro. 

Coletivo de Escritores Negros na BPE 

A Biblioteca Pública do Estado (Rua Riachuelo, 1190) receberá, no dia 24 de novembro, às 19h, o Coletivo de Escritores Negros (CEN) para um debate sobre a escrita negra, em comemoração ao Novembro Negro. O encontro marcará o lançamento da segunda edição da Revista “Meu Corpo Negro – Memórias”, que conta com a participação de escritores e artistas negros, como Gilberto Soares, Isabete Fagundes, Josiane Prestes, Maria Inês Nunes Barcelos, Rosa Mayommbe e Tiago Maria, todos membros do CEN.

Show 50 Tons de Pretas

A ADUFRGS Sindicato (Barão do Amazonas, 1581) apresenta no dia 22 de novembro, às 20h, o espetáculo “Tira o Teu Racismo do Caminho”, com o grupo 50 Tons de Pretas. O evento é aberto ao público, mediante ingresso solidário de doação de um brinquedo, e integra a programação do Novembro Negro no Sindicato.

Exposição de Aline Bispo

O Museu de Arte Contemporânea do RS inaugura, no dia 23 de novembro, às 18h, na Galeria Sotero Cosme no sexto andar da Casa de Cultura Mario Quintana (Rua dos Andradas, 736), a exposição “A Linha dá o Ponto, a Linha dá o Caminho”, da artista Aline Bispo, com curadoria de Alexandre Bispo. A mostra, integrante da programação do Novembro Negro, é um convite à reflexão sobre equidade racial. 

 


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta deste domingo, dia 25 de fevereiro de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895