Exposição apresenta história da escola de samba Realeza e homenageia Nega Lu

Exposição apresenta história da escola de samba Realeza e homenageia Nega Lu

"Purpurina que Reluz: a Realeza desfila para Nega Lu", curada por Everton Cardoso e Vanessa Aquino, é inaugurada nesta sexta-feira, 17, no Centro Cultural da Ufrgs

Correio do Povo

Mostra apresenta croquis, fantasias e vídeos do carnaval de 2023, além de objetos históricos da Realeza

publicidade

Nesta sexta-feira, 17, o Centro Cultural da Ufrgs (rua Eng. Luiz Englert, 333) inaugura a exposição "Purpurina que reluz: a Realeza desfila para Nega Lu", que apresenta a história da escola de samba Realeza e o seu carnaval em homenagem a Nega Lu, com croquis, fantasias e vídeos do carnaval de 2023, além de objetos históricos da Realeza. Com curadoria de Everton Cardoso e Vanessa Aquino, a mostra traz uma escola de samba que simboliza a potência do carnaval de Porto Alegre e o desfile que tratou de orgulho, representatividade e respeito. A abertura, às 19h, conta com apresentação do grupo show da Realeza. A visitação, na Sala Nogueira do Centro Cultural, segue até o dia 23 de fevereiro de 2024, de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h. A entrada é gratuita.

O mais recente desfile da Mimosa, como a escola é carinhosamente chamada, homenageou uma referência LGBTQIAP+ de Porto Alegre que nunca se enquadrou na sociedade de seu tempo. Por isso, depois de passar por diversas dimensões das vivências desse ícone, o cortejo mostrou o quanto essa figura emblemática é energia que permanece viva e potente entre nós. Evocou os ideais de Nega Lu a partir de sua postura transgressora, de sua luta contra a homofobia, do protesto contra a intolerância religiosa e da reivindicação pela valorização da classe artística.

O tema enredo foi idealizado pelo carnavalesco Luiz Augusto Gugu Lacerda e realizado em conjunto com Roberto Marques Silva a partir de sinopse escrita por Pedro Linhares. O samba enredo foi composto por Marcelo Adnet, André Carvalho, Baby do Cavaco, Fabiano Paiva, Fofão, Gabriel Machado e Gustavo Albuquerque. A interpretação foi de Alex do Cavaco.

A escola de samba Sociedade Beneficente Cultural Realeza é um dos símbolos da resistência carnavalesca e sambista em Porto Alegre. Fundada em 11 de abril de 1976, tem buscado valorizar as temáticas ligadas à cultura afro-brasileira. Em 2022, sagrou-se campeã do Grupo Prata e chegou à principal divisão do carnaval da capital. Em 47 anos de história, tem ensaiado na rua, na Encruzilhada do Samba, no bairro Partenon. Em 2023 essa realidade começou a mudar: a escola recebeu da Prefeitura um terreno para construir uma quadra de ensaios junto à Praça Arquiteto Demétrio Ribeiro.

Entre os anos 1970 e 2000, Nega Lu foi uma referência na vida queer, na boemia e na cena artística da cidade. Luiz Airton Farias Bastos (1950-2005), seu nome de batismo, era artista múltiplo - solista nos corais da Ospa e da Ufrgs, crooner da banda de jazz Rabo de Galo e bailarino clássico. Nega Lu foi também porta-estandarte da Banda da Saldanha, tradicional bloco da cidade, e foi figura marcante nas primeiras paradas da comunidade LGBTQIAP+ em Porto Alegre, além de integrar a Coligay do Grêmio.


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta quarta-feira, dia 1 de maio de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895