Exposição “Presença Negra no MARGS” abre neste sábado

Exposição “Presença Negra no MARGS” abre neste sábado

Inauguração contará com performances

Obra de Gui Menezes integra a mostra

publicidade

A inauguração da exposição “Presença Negra no MARGS” ocorre neste sábado, a partir das 10h30min, no Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Praça da Alfândega, s/nº). Haverá um ato solene reunindo participantes, autoridades, apoiadores e comunidade artística e cultural. A abertura também terá a apresentação de duas performances. A primeira se intitula “Agô”, da artista Preta Mina. O termo iorubá significa “pedir licença ou permissão”. No âmbito da mostra, Agô simboliza um pedido de licença para refletirmos sobre questões que pulsam para o sistema das artes no Rio Grande do Sul. 
Já a segunda performance se intitula “Arriada (fluxo reparatório)”, com a artista Rita Léndè. Trata-se de parte do fragmento performativo da obra cênica “Idê.Percursos” (2015),  que questiona o que é ser uma mulher negra brasileira, latina e sul americana, que segue sem resposta “definida".

“Presença Negra no MARGS” é uma grande exposição coletiva que traz a público o debate e a reflexão sobre a presença e representatividade negra no campo das artes visuais, a partir de uma perspectiva desde o Sul do Brasil. Com curadoria dos pesquisadores Igor Simões e Izis Abreu e assistência de curadoria de Caroline Ferreira e produção e realização do MARGS, a ampla e extensa mostra apresenta mais de 250 obras, de diversas coleções e procedências, reunindo cerca de 70 artistas entre históricos e atuantes.

Entre os atuantes, um grupo de mais de 20 artistas participou recentemente da residência artística intitulada “Resistência artística: INcorporAÇÕES e cruzas poéticas”, uma parceria entre MARGS, RS Criativo e Sesc RS. A atividade de formação e aperfeiçoamento, que integrou as ações preparatórias para a exposição, envolveu temas como o conceito de arte afro-brasileira, o funcionamento do sistema das artes e o empreendedorismo, além da formalização, gerenciamento e comunicação do negócio criativo.
Já entre as obras de arte e peças de coleções presentes na exposição, estarão sendo exibidos itens de mais de 20 acervos de instituições, museus e coleções particulares, como MARGS, Museu de Arte Contemporânea do Rio Grande do Sul (MACRS),  Casa de Cultura Mário Quintana (CCMQ), Fundação Vera Chaves Barcellos (FVCB), Museu de Arte Leopoldo Gotuzzo (MALG), Escola Municipal de Arte Carlos Alberto de Oliveira – Carlão, Pinacoteca Aldo Locatelli, Pinacoteca Ruben Berta e Coleção Sartori. As mais de 250 obras são apresentadas em núcleos a partir do conceito de “poéticas das encruzilhadas”, noção elaborada com base nas proposições teóricas de Luiz Rufino (2019) e que parte da compreensão de que a arte afro-brasileira resulta dos cruzos de múltiplos conhecimentos condensados em manifestações poéticas tecidas na trama das experiências transatlânticas.

A exposição ocupa todos os espaços expositivos do 1º andar do MARGS (Foyer, Pinacotecas, Salas Negras e Sala Aldo Locatelli). Poderá ser visitada até 21 de agosto de 2022, de terças a domingos. 


Mais Lidas


Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895