“Minha ideia foi realmente trazer uma nova sonoridade para a minha história”, lembra Luan Santana

“Minha ideia foi realmente trazer uma nova sonoridade para a minha história”, lembra Luan Santana

Porto Alegre recebe “Luan City”, o novo show do artista com 15 anos de carreira, nesta quarta, 7 de setembro, a partir das 15h, na Arena do Grêmio

Luiz Gonzaga Lopes

Luan Santana apresenta o show "Luan City" nesta quarta-feira, na Arena do Grêmio

publicidade

Depois de três apresentações bem-sucedidas em Portugal, na Arena Superbok de Porto e no Altice, em Lisboa, Luan Santana dá continuidade à sua turnê no Brasil. Neste feriado de 7 de setembro, o músico com 15 anos de carreira desembarca em Porto Alegre e sobe ao palco da Arena do Grêmio, a partir das 15h, para mostrar o show da turnê "Luan City". Os shows de abertura são de Lucas & Felipe e de Sambary, além de DJs convidados. Luan Santana sobe ao palco às 20h30min. Ingressos no minhaentrada.com.br. Informações pelo (51) 999614990. Mais do que um show, o espetáculo tem a concepção de uma grande festa, capaz de abraçar as pessoas da plateia como parte da apresentação. A gravação, que deu nome à turnê, aconteceu no dia 20 de dezembro de 2021, na Vila Itororó, patrimônio histórico tombado em São Paulo, que funcionou como uma vila e foi erguida entre 1922 e 1929. O cenário leva muito mais que um palco, é uma apresentação de músicas inéditas e grandes sucessos, com jogos de luzes e efeitos especiais.

O espetáculo reúne grandes sucessos do artista e algumas músicas inéditas, que se debruçam sobre questões de amor como traição, saudade, prazer e perdas, mas com muita pulsação e energia. Entre as canções estão canções como “Quando a Bad Bater", "Seu Doutor", "Morena"  e "Erro Planejado", além de hits da carreira, como "Meteoro", "Amar não é Pecado". "Sinais", " Acordando o Prédio", "Vingança" e "Escreve aí", passando por covers de canções que Luan gosta como "Muda de Vida" e "Estou Apaixonado". Dos sucessos recentes, destaque para  "Sorria", "Vingança", "Abalo Emocional", "Perigo Noturno" e a atual  “Coração Cigano” - feat com Luisa Sonza que está em 4º lugar do Top 50 Brasil do Spotify. Nesta entrevista concedida ao Correio do Povo, Luan Santana fala da criação do conceito da Luan City, da carreira, da nova gravadora, carreira internacional e da volta a Porto Alegre.

Correio do Povo - Em primeiro lugar queria saber o que nos reserva esta Luan City ao vivo em Porto Alegre? Pelos vídeos e tudo que já vi, tu e tua equipe criaram algo especial, como se as pessoas saíssem das suas vidas por duas horas e mergulhassem numa daquelas Atlântidas, cidades perdidas para a gente se achar no amor, na alegria, na tua vibe.

Luan Santana - É isso mesmo. Gostei bastante da sua definição. É exatamente assim que nós pensamos. Idealizei tudo como uma cidade mesmo, como um lugar de alegria, de festa, em que a música tem o poder de mudar o mundo, de nos conectar a tudo e a todos. Pesquisamos lugares e eu fui pessoalmente fazer visitas técnicas em vários lugares de São Paulo, até chegar na Vila Itororó, onde projetamos cores, luzes, neon, sonhos, sons, cenas, cenários...E foi através da gravação do “Luan City” que surgiu o cenário e conceito da turnê que tem percorrido o Brasil. Minha ideia foi realmente trazer uma nova sonoridade para a minha história. Ter as pessoas envolvidas neste mundo, nesta cidade que a gente criou, para que tudo seja uma grande festa, uma grande tribo em nome da alegria, da emoção e da energia que compõem o repertório. Acabamos de voltar de Portugal, onde desde o começo do ano, estamos com ingressos esgotados para os três dias dos shows e foi incrível. Inesquecível!

Correio do Povo - Tu sempre foste alguém de vanguarda nos teus gêneros. Muitas das revelações da década passada beberam um pouco da tua fonte. Como o Luan se sente neste atual momento em relação à música, a criação, aos temas, às formas de criação?

Luan Santana - Feliz. Realizado. É exatamente isso que eu gosto de mostrar. Trazer o diferente, sair da bolha. Levantar suspiros. Eu gosto de investir e de criar muito. Quero que as pessoas saiam de casa para ver um grande espetáculo. Assim como meu repertório. Quero falar de amor, da forma como as pessoas vivem. Aquele amor avassalador, amor de balada, falar de sentimentos que atingem várias pessoas, idades...

Correio do Povo - De "Meteoro" até "Coração Cigano", com feat da nossa gaúcha Luísa Sonza, foi uma trajetória de muito amor pela música, pelos fãs, vontade de fazer a diferença num mundo musical que por vezes pasteuriza. Dá para descrever esta trajetória profissional de 15 anos em algumas palavras?

Luan Santana - Eu resumo em gratidão. São 15 anos de carreira. O resultado de tudo que tenho vivido com casas cheias, ingressos esgotados, músicas em importantes playlists, projetos, prêmios... agradeço e dedico aos meus fãs.. Graças a Deus, só bençãos.

Correio do Povo - Como já te chamei de vanguardista em uma pergunta anterior, quero falar sobre o fato de você romper com uma grande gravadora, ficar independente durante um tempo e começar um novo contrato, agora com a Sony, parecendo estar com mais liberdade artística, de propor projetos e não vir algum diretor que não te conhece por inteiro querer ditar coisas. Muitos já fizeram isto no rock nos anos 1960 e 70. Era um caminho difícil. Como você está nesta nova fase?

Luan Santana - Na verdade a ideia de partir para uma nova gravadora, foi para a minha carreira internacional que tenho estudado bastante e me dedicado muito a isso. Como eu já disse certa vez e reforço: Quero escrever esta nova história com os meus fãs e conquistar o mundo que, junto com a Sony, vai me ajudar a mostrar a música e o romantismo do Brasil. Adele, Alicia Keys, Britney Spears, Beyoncé e Roberto Carlos são alguns nomes que integram minha nova casa, artistas por quem eu tenho enorme admiração. Mais que uma nova fase, é um novo caminho, sustentado com passos firmes e bem sucedidos que trilhei no passado.

Correio do Povo - Dá para se dizer que você foi projetado pelo YouTube, isto quando era talvez a principal plataforma, não havia streaming e se não estivesse na TV ou nas rádios, o cara ficava à margem. Como tu estás gerenciando este mundo quase que totalmente virtual, que será rompido para os gaúchos com a tua presença no dia 7 de setembro? O contato com os fãs, com outros músicos, etc?

Luan Santana - As novas tecnologias são muito importantes. Através do mundo digital, conseguimos ficar mais próximos dos nossos fãs e, na pandemia, foi o virtual que nos levou a tantos lares, com lives, quando o contato físico era inviável. Mas, eu gosto do toque, de estar junto, por isso estou super ansioso para voltar a Porto Alegre.

Correio do Povo - Para finalizar aquela pergunta bairrista. Tocar e cantar em Porto Alegre significa o quê para ti. Em outras entrevistas, tu sempre falaste bem daqui. Afinal, apesar de ser do Centro-Oeste, acho que hoje, quando não estás em shows, acho que tens ligações com  Londrina, e o Sul é todo muito parecido na forma de ver o mundo, a tal Estética do Frio apregoada pelo Vitor Ramil. Fala aí, guri (rs).

Luan Santana - Hoje eu moro em São Paulo, mas tenho também escritório em Londrina. O Centro-Oeste é minha grande paixão. Toda folguinha, eu corro pra lá, pra pescar, arejar a cabeça e curtir uns dias com a família e amigos. Porto Alegre é uma cidade muito especial, de tantos nomes da nossa música como a minha parceira Luisa Sonza, Luis Fernando Verissimo, Adriana Calcanhoto, Elis Regina...  E os gaúchos também desbravaram o Centro-Oeste como um todo, em especial no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Aí está a nossa ciência e influência.


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta segunda-feira, dia 22 de abril de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895