O 1º Festival Cinema Negro em Ação busca a equidade racial no mercado audiovisual

O 1º Festival Cinema Negro em Ação busca a equidade racial no mercado audiovisual

As inscrições de trabalhos podem ser feitas até dia 16 de outubro

Por
Arte & Agenda

Equipe e elenco da série “Nós somos pares”, de Camila de Moraes, gravada em Salvador


publicidade

O 1º Festival Cinema Negro em Ação Profissionais está com inscrições abertas, até 16 de outubro,  para negras e negros, com interesse em participar da seleção. Internacional e competitivo, o festival contempla videoclipes, videoartes, curtas-metragens e longas-metragens em formato digital.

Estão habilitadas a participar produções de qualquer ano, com temática livre, sem necessidade de serem inéditas. O festival será realizado, em novembro, integrado às programações do mês da Consciência Negra. O regulamento está no site  www.cultura.rs.gov.br.

Idealizado pela cineasta gaúcha Camila de Moraes, o evento é realizado pela Casa de Cultura Mario Quintana, em parceria com o Instituto Estadual de Cinema. “Importante frisar que é um festival afirmativo, que tem a intenção de conhecer outros olhares produzidos dentro do audiovisual, servindo como um facilitador de diálogos entre público e setores da indústria cinematográfica”, relata Camila. 

O diretor do Iecine, Zeca Brito, também destaca o comprometimento com a equidade racial no mercado audiovisual. “O festival representa um marco nas políticas afirmativas das instituições envolvidas. Resultado de um programa de inclusão e representatividade que aposta no audiovisual como um caminho de desenvolvimento econômico e social”, ressalta.

Seleção, exibição e premiação

As obras selecionadas serão divulgadas até 5 de novembro. O evento, de 20 a 27 de novembro, entrará na programação da TVE-RS. As produções também poderão ser conferidas no Brasil e no exterior pelas redes sociais da CCMQ e plataformas da Secretaria da Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Estão previstos prêmios nas principais categorias, incluindo uma residência artística, em parceria com o Festival Internacional de Cine de Cartagena de Índias, na Colômbia. Também haverá seleção de 14 projetos em desenvolvimento de séries e longas-metragens, que receberão o selo Cinema Negro em Ação, e serão apresentados em encontros exclusivos com players convidados parceiros do festival, dentre os quais a plataforma Netflix.