Primeira Comic Con da Arábia Saudita gera polêmica
capa

Primeira Comic Con da Arábia Saudita gera polêmica

nde muitos o consideram a iniciativa"indecente" e um convite à "depravação" dos jovens

Por
AFP

Festival faz parte de uma iniciativa do governo para oferecer mais opções de entretenimento aos jovens

publicidade

O primeiro festival de Comic Con realizado na Arábia Saudita está provocando polêmica no país, onde muitos o consideram a iniciativa "indecente" e um convite à "depravação" dos jovens. O evento dedicado aos videogames, às séries de televisão e à cultura popular em geral foi realizado entre 16 e 18 de fevereiro na cidade de Jidá, apesar da oposição dos círculos religiosos conservadores. "A indecência, a mistura com as mulheres de muçulmanos, a dança e a música não podem ser considerados entretenimento, senão um convite à depravação e ao pecado", disse um usuário do Twitter.

O festival faz parte de uma iniciativa do governo para oferecer mais opções de entretenimento para os jovens menores de 25 anos, que representam mais da metade da população do país regido por uma visão rigorista do Islã, onde a segregação entre homens e mulheres é obrigatória. Na quinta-feira, a Autoridade Saudita de Entretenimento anunciou que os organizadores do festival iam ser penalizados por "violação", sem dar mais detalhes, apesar de que esta mesma entidade havia apoiado o evento, organizado pela empresa Time Entertainment.

Para muitos internautas, o festival foi "uma festa de adoradores do diabo" e "ocidental" demais. Segundo outro usuário do Twitter, Deus deveria se vingar "daqueles que fizeram nossas mulheres dançarem no meio dos homens sem nenhuma vergonha". O desejo das autoridades de ampliar a oferta de ócio no reino é um dos objetivos do "Vision 2030", um ambicioso programa de reformas econômicas e sociais promovido pelo príncipe Mohammed bin Salman, de 31 anos.