Um dos primeiros cinemas da história reabre em Moscou após reforma

Um dos primeiros cinemas da história reabre em Moscou após reforma

O cinema, cuja restauração estava prevista desde 2010, estava fechado ao público desde 2014

AFP

O "Khudozhestvenny" anunciou sua reabertura ao público em 9 de abril

publicidade

O primeiro cinema de Moscou e um dos mais antigos do mundo, o "Khudozhestvenny", anunciou nesta sexta-feira (2) sua reabertura ao público em 9 de abril, após uma restauração completa.

Localizado em um edifício emblemático no bairro histórico de Arbat, este conhecido cinema moscovita foi totalmente reformado, como visto durante uma visita de imprensa nesta sexta.

Alguns elementos históricos, como os baixos-relevos da fachada, foram restaurados, mas também foram criados novos interiores modernistas ou art déco, sob a direção da agência de arquitetura local Strelka.

Inaugurado em 1909, este cinema foi o primeiro de Moscou e um dos primeiros do mundo, e seus visitantes incluem, entre outros, o famoso escritor Léon Tolstoi, segundo o teatro.

Durante o regime soviético, recebeu até mil espectadores (contra quase 500 hoje).

Em 1926, foi palco da estreia mundial do lendário filme de Serguei Eisenstein "O Encouraçado Potemkin".

O cinema, cuja restauração estava prevista desde 2010, estava fechado ao público desde 2014.

As obras começaram quando a sala pertencia ao grupo Rambler, liderado pelo bilionário russo Alexander Mamut, que desde então foi adquirido pelo Sberbank, o primeiro banco russo.

"O Sberbank restaurou completamente o lendário cinema Khudozhestvenny para devolver aos habitantes de Moscou e visitantes da capital um dos lugares mais apreciados por muitas gerações", disse a vice-presidente sênior do Sberbank, Tatiana Dobrokhvalova, em um comunicado.

O valor da restauração não foi divulgado.


Mais Lidas

Guia de Programação: a grade dos canais da TV aberta desta quarta-feira, dia 1 de maio de 2024

As informações são repassadas pelas emissoras de televisão e podem sofrer alteração sem aviso prévio

Correio do Povo
DESDE 1º DE OUTUBRO 1895