capa

A espera do susto

, "Anabelle 3 - De Volta Para Casa" (Annabelle Comes Home) não sairia do papel se fossemos analisar os eventos ocorridos no filme.

Por
Chico Izidro

A boneca que aterroriza está de volta na produção que promete sustos

publicidade


Dirigido pelo estreante Gary Dauberman, roteirista dos dois filmes anteriores, "Anabelle 3 - De Volta Para Casa" (Annabelle Comes Home) não sairia do papel se fossemos analisar os eventos ocorridos no filme. Sem contar que a boneca, ao contrário do psicopata e também boneco Chucky, não faz nada, absolutamente nada. Fica lá apenas sentada. Sua força é atrair para nossa dimensão todo tipo de espírito maligno.

Assim, o casal Ed (Patrick Wilson) e Lorraine Warren (Vera Farmiga) recuperam a boneca que estava em poder de uma família e a levam para seu porão repleto de objetos que já sofreram algum tipo de possessão - por que deixar isso num porão de sua própria casa, e com uma filha pré-adolescente no local? Annabelle é trancada em uma caixa de vidro abençoada por um padre. Aí o casal vai viajar e deixa a pequena Judy (McKenna Grace) com a babá Mary Ellen (Madison Iseman).

E claro que vai aparecer na casa uma amiga da babá, Daniela (Katie Sarife), traumatizada pela morte recente do pai, e a moça quer entrar em contato com o espírito dele. Xeretando, ela liberta a boneca, que imóvel, atrai todos os espíritos malinos para atormentar durante a noite as três meninas. Que berram, berram, correm.

Só que "Anabelle 3 - De Volta Para Casa" (Annabelle Comes Home) parece ter sido feito apenas para dar sustos leves, e não provocar pavor, nêm pânico. Não tem sangue, corpos estraçalhados, nem nada. Tudo muito clean. O espectador fica lá, esperando pelo susto. E é só isso.