Mercenários da pipoca
capa

Mercenários da pipoca

Por

publicidade

Sylvester Stallone, aos 68 anos, continua tão letal quanto aos 30 e poucos, quando nos anos 1980, levou ao mundo a trajetória do ex-soldado no Vietnã Rambo. Pois,em "Os Mercenários 3", direção de Patrick Hughes II, Stallone volta a reunir sua tropa de cinquentões e sessentões para combater um vilão cruel, interpretado por Mel Gibson. Mas desta vez uma nova geração da porrada, vividos por entre outros por Ronda Rousey e Glen Powell, é convocada. E sim, estão lá as piadas auto-referentes às idades avançadas dos mocinhos. E elas já começam quando o personagem de Wesley Snipes, o Dr. Morte, é libertado de uma prisão. "O que você fez para ficar oito anos preso?", perguntam para ele. "Soneguei impostos" é a resposta do aqui especialista em facas. E Snipes passou mesmo três anos em cana por não pagar impostos ao Tio Sam. Logo os veteranos estão na Somália, ondem tentam prender o traficante de
armas Conrad Stonebanks (Mel Gibson). A missão falha e Barney  (Sylvester  Stallone) decide aposentar o grupo. Numa nova tentativa de capturar Stonebanks, Barney renova o grupo, chamando uma garotada. Não cabe aqui contar o que acontece, mas na parte final de "Os Mercenários 3", os
antigos parceiros de Barney voltam à cena, enfrentando o exército da fictícia Azbequistão, país aliado de Stonebanks. A sequência é uma das mais violentas dos últimos anos, mas ao mesmo tempo nada de sangue na tela, e também estapafúrdia. Afinal o exército inimigo se mostra mais incompetente do que qualquer coisa. Com tanques, helicópteros, mísseis, ele não consegue inflingir um arranhão sequer nos mercenários.  "Os Mercenários 3" é cinema-pipoca pura, e tem no elenco, além de Stallone, Snipes, Jason Statham, Arnold Schwarzenegger, Harrison Ford, Dolph Lundgren e Terry Crews, entre outros. Para não pensar nenhum pouco.  Porrada é o lema.

Chico Izidro